Em Patos, mulheres fazem colagens em postes denunciando violência de gênero e o Governo Bolsonaro



O Movimento de Mulheres Olga Benário promoveu atividade coletiva na noite desta sexta-feira, dia 03, em pontos estratégicos do Centro de Patos. Dezenas de cartazes foram afixados em postes com a finalidade de chamar atenção para o momento social e político vivido no Brasil.

A ação contou com 5 ativistas munidas com cartazes, cola artesanal e muita disposição para chamar atenção dos milhares de pedestres que diariamente transitam no centro da cidade.

De acordo com Samara Oliveira, a atividade foi mesmo para chamar a atenção diante do grave momento da violência contra a mulher, o caos na saúde diante da pandemia do novo coronavírus, COVID – 19 e a revolta provocada pelo comportamento do presidente Bolsonaro que tem ignorado as mais de 62 mil vidas perdidas desde o início da doença.

“Nossa campanha é para toda a sociedade, em especial para mulheres. Queremos que aquelas que sofrem não se calem e denunciem. Também denunciamos esse desgoverno que está aquém das vidas. Precisamos sim de um ‘Fora Bolsonaro’. Também colocamos números telefônicos para que as mulheres possam denunciar a violência. Estamos convidando as mulheres para se organizarem conosco no Olga Benário…as mulheres que quiserem lutar ao nosso lado, podem nos procurar pelas redes sociais”, comento Samara.

Aline Ana Leite, que também esteve na atividade, relatou que o Movimento de Mulheres Olga Benário está reunindo de forma remota na internet para fazer planejamentos, estudos e decidir ações. O movimento decidiu dar início a uma campanha de denúncia junto com outros movimentos de mulheres contra o Governo Bolsonaro. Para Aline, Bolsonaro não respeita as mulheres, nem vem dando exemplo de gestor diante da pandemia do novo coronavírus e está causando danos maiores como representante máximo da nação.


Jozivan Antero – Patosonline.com






Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.