Politica

Em Patos: Mais um sessão de bate-boca no poder legislativo

ÓTICAS GUIMARÃES

Mais uma vez alguns vereadores, realizaram uma verdadeira discórdia na sessão desta quinta-feira (01/10), noite em que a Casa Juvenal Lúcio de Sousa recebeu uma grande quantidade de pessoas para acompanhar os trabalhos legislativos.

Porém o que se viu e o que se vê nas imagens exclusivas do Portalpatos é uma verdadeira batalha intransigente através dos envolvidos, cuja situação acaba praticamente na mesmice de sempre.

Entre os requerimentos votados e aprovados na sessão de quinta estava um Projeto de Lei de autoria dos vereadores da “oposição” a recondução do vereador Marcos Eduardo (PMDB) ao poder, pedindo transparência em sua administração. Iniciativa abominada pela situação que discorda veementemente por conta do projeto ter sido elaborado coincidentemente nas proximidades da eleição interna.

Na sessão realizada na última terça-feira (29.09) o vereador Almir Mineral (PSDB) fez duras críticas ao presidente Marcos Eduardo e denunciou na Tribuna que ele estaria realizando gastos excessivos com o dinheiro público. Uma verdadeira crise interna teve início na Câmara desde então.

Os gritos dos vereadores envolvidos e ainda a reação de torcidas organizadas para ambas as partes, ecoaram nos quatro cantos do Plenário e Auditório da casa, decepcionando uma delegação de portadores de necessidades especiais que estava no auditório, para acompanhar um segundo Projeto de Lei intitulado "passe livre" de autoria de Edileudo Lucena (PT), que defende transporte gratuíto para eles.

O assunto na pauta das discussões ultimamente na Câmara está sendo acusações pessoais cujo conteúdo deixa os próprios expectadores a deriva. Insinuações cavilosas entre uns e outros de que supostamente existem pessoas armadas de revólveres no interior da casa dando suporte a um ou a outrem.

Eduardo trouxe consigo cópias de Notas Fiscais dizendo ter provas de que o dinheiro público foi empregado corretamente, porém Ivanes Lacerda (PSDB) discordou do presidente desacreditando da autenticidade das mesmas.

A discussão em torno do assunto foi tão ponderosa para os presentes quando Lacerda desafiou Eduardo a colocar seus respectivos cargos a disposição, caso ele não provasse que os documentos apresentados pelo presidente eram falsos. Por sua vez, o presidente aceitou o desafio.

Ao final, na hora da apreciação dos requerimentos e do próprio irrequieto Projeto de Lei, ficou acordado entre todos que o mesmo seria retirado de votação com a promessa do presidente Marcos Eduardo em transparecer seu mandato de agora em diante.

Portalpatos.com

Botão Voltar ao topo