Em Catolé do Rocha: Ex-presidiário sequestra moto-taxista e depois o mata



Um ex-presidiário cometeu um latrocínio contra um moto-taxista na noite da última quinta-feira (24), em seguida fugiu com a moto da vítima em direção ao Rio Grande do Norte, onde foi pego numa blitz policial e recambiado para a Superintendência de Policial Civil de Catolé do Rocha, onde foi ouvido e confessou ter realmente matado o moto-taxi para roubar.

Kaylson Kelton Alves de Assis, de 22 anos, solteiro, desocupado, residente no Bairro Luzia Maia, que já pesa contra ele registro de antecedentes criminais, contratou o moto-taxista Francisco Hélio Silva Mendes, de 46 anos, casado, residente no Bairro Tancredo Neves em Catolé do Rocha, para fazer uma corrida.

Segundo o depoimento do criminoso, ele teria levado a força o moto-taxista para uma estrada carroçal no Sítio Várzea Nova, deste município, quando por volta das 19h: 00min entrou em luta corporal tentando amarrar Francisco Hélio com uma corda, e depois o matou com vários golpes de faca peixeira, e em seguida roubou a sua moto, de Marca Honda CG 125 FAN, Cor Preta, Placa MOK 8054 / PB, e fugiu com destino ao Rio Grande do Norte.

Na manhã desta sexta-feira (25), familiares da vítima prestaram queixa na Delegacia de Policia Civil em Catolé do Rocha, dando conta do desaparecimento de Francisco Hélio.

De posse das informações da vítima e de alguns dados do possível passageiro, o Superintendente da 8ª Regional de Polícia Civil, André Rabêlo determinou que imediatamente fossem efetuadas várias diligências para tentar prender o acusado, assim como pediu ajuda das policias Militar e Civil do Rio Grande do Norte, possível destino do criminoso.

O marginal esteve na manhã de sexta, na cidade de São Bento, e depois se dirigiu ao vizinho Estado do Rio Grande do Norte, quando caiu numa Blitz Policial nas proximidades de Caicó, onde foi preso e recambiado para Catolé do Rocha, onde foi entregue as autoridades policias.

No início da noite desta sexta (25), o acusado foi interrogado na delegacia da Polícia Civil, onde confessou a autoria do crime, inclusive narrando os detalhes do seqüestro, assassinato e roubo cometido contra a pessoa de Francisco Hélio Silva Mendes.

Após o depoimento, o meliante foi levado para o Sítio Várzea Nova, local do latrocínio (roubo seguido de morte), onde foi feito um trabalho de reconstituição, acompanhado pela Polícia Científica, que periciou a cena do crime para a instalação do processo. O bandido foi recambiado para o Presídio do Município e ficará a disposição da justiça.

 

Fonte: Humberto Vital – Catolé