ELEIÇÕES 2012: E agora, Nabor? – Por Jozivan Antero



Faltando menos de um ano para o início da campanha eleitoral que definirá o nome do novo prefeito de Patos, os eleitores começam a discutir sobre a sucessão municipal na cidade e os seus desdobramentos. O quadro de candidatos poderá ser um dos maiores já vistos nos últimos tempos, mas há quem diga que alianças podem ser concretizadas e ao final sobraram no máximo três nomes na disputa para o poder executivo municipal.

O prefeito Nabor Wanderley – PMDB terá um papel fundamental na definição do nome que disputará a campanha com seu apoio. Nabor, apesar do desgaste no segundo mandato, está com a prefeitura sob seu comando e esse fato, sem dúvida, fará muita diferença dependendo de como se encaminhará a administração nos últimos meses até a campanha de 2012. Contas reprovadas, escândalos na Superintendência de Trânsito e Transporte Públicos – STtrans, alguns secretários sem expressão, obras paralisadas ou com prazo de conclusão extrapolados, podem complicar o discurso no palanque.

Nabor Wanderley foi à peça fundamental na eleição que garantiu o retorno de um deputado federal para a cidade de Patos, mas a eleição de Hugo Mota – PMDB, filho de Nabor, eleito com mais de 80 mil votos, votos que causaram surpresa por todo o estado, pode ter sido fator determinante nas dificuldades enfrentadas porteriormente à eleição. Por outro lado, à derrota do governador e candidato a reeleição José Maranhão – PMDB para Ricardo Coutinho – PSB, inesperada para a cúpula do PMDB local, foi também um dos fatores de desequilíbrio nos planos de recuperação política para o PMDB na cidade.

O fato é que Nabor aprendeu rápido a lidar com a politica tradicional, é o prefeito, tem um deputado federal intimamente ligado a ele e é, visivelmente, um político que se equilibrou nas próprias finanças. Mas tem um ponto negativo: falta um nome na sucessão. Já que o nome do ex-prefeito Ivanio Ramalho – PMDB enfrenta resistência dentro e fora do partido. Mesmo sendo o candidato da deputada estadual e matriarca do PMDB, Francisca Mota, Ivanio Ramalho ainda não decolou como candidato da situação.

A cidade de Patos já provou por duas vezes que amadureceu politicamente quando o assunto é escolha de governantes. Não basta estar no poder para eleger os candidatos apoiados pelos mandatários políticos. A vitória de Nabor contra o candidato apoiado pelo então prefeito na época Dinaldo e a vitória de Ricardo Coutinho por duas vezes na cidade, provam que Patos está dando passos maduros para uma cidade que já ultrapassou os 100 mil habitantes.

 

 

 

Jozivan Antero – patosonline.com