Durante entrevista, Nabor Wanderley fala sobre política, trabalho na Assembleia e elogia prefeita de Patos



O deputado estadual, Nabor Wanderley (PMDB) concedeu entrevista nesta terça-feira, dia 22 de Março, ao jornalista Heron Cid, do portal maispb.com.br, onde tratou de assuntos pertinentes à política, seu trabalho na Assembleia Legislativa e lamentou a saída de companheiros de partido.

“Nós temos que respeitar as decisões de cada um, é claro que o partido sente muito em perder esses dois grandes companheiros, Gervásio Filho que tem uma história no PMDB que vem desde seu avô, João Agripino; Trócolli que é um grande companheiro nosso. Tivemos essas perdas, mas o partido está trabalhando o seu crescimento”, lamentou.

Já sobre as alianças para o próximo pleito, Nabor destacou o respeito que deve ser tomado nas decisões dos partidos.

“Nós temos um alinhamento político com o governador Ricardo Coutinho, com o Governo do Estado, apoiamos o governador no segundo turno, o PMDB foi participar da eleição, faz parte do governo, estamos dando apoio na Assembleia, apesar de uma parte dividida votando a favor e outra que não assimilou essa questão da aliança com o governador, mas, creio que nós temos que respeitar as decisões. Se pudermos construir a unidade é muito bom, mas, se não pudermos construir, temos que respeitar a decisão de cada partido, creio que isso não vai interferir na aliança”, explicou.

O parlamentar citou como exemplo as cidades de João Pessoa e Campina Grande caso não haja uma união para o primeiro turno, sendo o apoio consolidado para o segundo turno.

Em Patos

 Na capital do sertão, Nabor elogiou o trabalho da prefeita, Francisca Motta defendeu sua reeleição. “É nossa líder, é a que representa todos nós (…) tem vinte anos como deputada, está fazendo um excelente trabalho como prefeita e, essa semana mesmo lançou um plano de infraestrutura urbana, de pavimentação de ruas de quase vinte milhões de reais. Encontrou um período difícil, esse período de crise porque passa o país e atinge principalmente os estados e municípios. Mas, com seriedade, com organização, com o zelo que ela sempre teve com a coisa pública ela está conseguindo conduzir os destinos do município fazendo com que os poucos recursos sejam bem empregados em benefício da cidade.”, destacou.

Com relação à eleição, Nabor explicou que o partido ainda está em conversão para definir. “Eu defendo que Francisca seja reeleita para que ela possa concluir os seus trabalhos e é isso que eu defendo. Caso ela não queira, o partido vai sentar, vamos sentar com os partidos aliados, vamos reavaliar a situação porque até o momento a situação é da candidatura de Francisca à reeleição e ai vamos fazer uma reavaliação e discutir nomes”, assegurou o deputado que também é presidente do Diretório do PMDB de Patos.

Na Assembleia

O deputado ainda fez uma avaliação sobre o mandato parlamentar.

“Tem sido bom, é importante, é um desafio novo, nós tivemos o primeiro ano tentar nessa nova esfera. Quem vem do executivo para o legislativo sente muito, como executivo temos o poder de decisão, de resolver, de está lá na hora, as pessoas chegam com um pleito e a gente resolve. Já no legislativo é um pouco diferente, pois é um trabalho de legislar, de encaminhar os projetos de lei, de defender junto aos órgãos do governo as ações para os municípios”, diferenciou.

Nabor ainda pontuou que também há uma dependência dos recursos do estado para que as ações sejam desenvolvidas.

Em seu primeiro ano de deputado estadual, Nabor  apresentou na Assembleia Legislativa 23 Projetos de Leis, seis dos quais convertidos em leis estaduais, todas de muito boa qualidade, alcance social e de políticas afirmativas, restando 16 (dezesseis) em tramitação; 02 (dois) recursos; 26 (vinte e seis) indicações e 81 (oitenta e um) requerimentos.

 

Assessoria