Locais

Dona de casa lamenta doações da prefeitura: “esperamos 6 meses para receber uma alface, que custa 1 real”. Secretária responde. Veja

A Secretária de desenvolvimento social, Helena Wanderley, explica como funciona os programas de segurança alimentar que é desenvolvido dentro da política de assistência social em Patos

ÓTICAS GUIMARÃES

A dona de casa Sandra Lima usou as suas redes sociais nesta quinta-feira, dia 16, para lamentar uma doação que recebeu da prefeitura de Patos, no CRAS Mariana Alves. Segundo ela, não está valendo a pena sair de casa, no sol quente, para ir ao CRAS para receber alguns itens que são doados pela prefeitura, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

No KIT que foi entregue pela prefeitura, tem uma alface, algumas batatas e uma pequena abóbora, o que causou revolta da em Sandra Lima, pois faz alguns meses que a comunidade está sem receber as doações e quando veio, não foi nada que eles não pudessem comprar, como carne, frango e outras coisas citadas por ela.

“Temos que agradecer por todas as coisas, nesse tempo que estamos vivendo. Para o prefeito de Patos, Nabor Wanderley, que fez várias promessas na inauguração do CRAS Mariana Alves, para nós que saímos do Alto da Tubiba, Mutirão, Monte Castelo, para receber um molho de alface, que custa 1 real, menos de um quilo de batata doce e uma abóbora, para nós mães de família que passamos quase 3 meses esperando a doação do PAA. Ele nos trata como se fôssemos um lixo. [Em outras gestões] nós já ganhamos carne, frango, tudo com atenção e carinho. Mas olha o que ele faz com as mães de família hoje em dia, passamos a manhã toda no sol quente, com crianças de braço para trazer isso, enquanto ele está luxando na casa dele. Passa três meses para dar isso aqui, olha a melhoria que ele faz, com as promessas dele”, lamentou Sandra.

Ainda segundo a moradora, o problema está em o prefeito continuar fazendo promessas, mas não cumprir com a palavra. Ela disse que, durante a inauguração do novo CRAS, o prefeito prometeu melhorias para a comunidade, mas, até o momento, nada mudou.

“Eu só queria que ele dialogasse, fosse mais compreensível com a comunidade carente, porque foram os pobres que colocaram ele lá na cadeira. Que ele desse melhorias para a comunidade. Passamos três meses esperando uma doação e ele nos trata como se fôssemos um lixo. É nas carreiras, como se a gente fosse um lixo, não é assim. Melhore, senhor prefeito, quatro anos estão se passando rápido demais”, concluiu a dona de casa.

Por fim, ela questionou se em 6 meses a alface ainda vai estar boa para o consumo, se ela vai resistir até a próxima doação, com relação ao tempo que leva entre uma doação e outra.

Veja o vídeo que circula nas redes:

Sobre este caso, a reportagem procurou a comunicação da Prefeitura de Patos, e recebemos um áudio da Secretária de desenvolvimento social, Helena Wanderley, onde ela explica como funciona os programas de segurança alimentar que é desenvolvido dentro da política de assistência social em Patos.

Helena explicou que o programa do PAA, por exemplo, recebe os produtos que vem direto dos agricultores em parcerias com outros municípios. Esses alimentos são entregues ao banco de alimentos que são repassados as família cadastradas. Ela explica porque não estão sendo repassadas carnes para as família.

Ouça abaixo o áudio com a explicação da secretária:

Secretária Helena Wanderley

Patosonline.com

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios