Dinaldo Wanderley volta a criticar governador em programa de Rádio



"dinaldo"Assim como aconteceu ontem 21/12 no programa “Participação Popular” da rádio Morada do Sol FM e que tem como titular o radialista Sílvio Romero, o entrevistado desta terça-feira (22) foi o deputado estadual Dinaldo Wanderley (PSDB).

Dinaldo que foi prefeito de Patos durante 08 (oito) anos consecutivos defenderá seu segundo mandato como deputado estadual. Ele também e detentor de um significado apoio da população paraibana, principalmente Patos que lhe deu uma expressiva votação, tanto como prefeito quanto deputado estadual.

Dinaldo também foi enfático em sua entrevista e disse lamentar a forma a qual vem conduzindo a administração estadual o governador José Maranhão. Disse que é inadmissível a situação da segurança pública no estado principalmente na Cidade de Patos se referindo aos constantes assassinatos que vem acontecendo.

O parlamentar fez questão de destacar principalmente a onda de perseguição que é fruto, segundo ele, de um governo que praticamente não existe na Paraíba. Reafirmou seu compromisso com o povo paraibano nesse aspecto, de nunca perseguir ninguém seja de que cor partidária ele faça parte.

Criticou a defasagem na saúde pública de Patos. Agradeceu o apoio recebido da maioria dos vereadores que votaram a favor de suas contas no Plenário da casa e lamentou aos que deixaram de votar o que já havia sido aprovado pelo TCU.

Dinaldo lembrou emocionado dos momentos vividos ao lado dos seus Pais, principalmente nessa época do ano, nas festas de Natal. Indagado pelo radialista sobre onde passar o Natal, ele disse que é da praxe estar ao lado da família, por que o momento é de confraternização e de amor aos seus e ao próximo.

O deputado falou sobre as suas pretensões em voltar a Assembléia Legislativa cujo mandato atual vai continuar até ano que vem, porém evitou falar sobre sucessão municipal por considerar ainda muito cedo.

Dinaldo Wanderley disse ainda que a intransigência de Maranhão em obrigar o funcionalismo público não ter direito de escolher o Banco o qual ele poderá receber seus vencimentos, é no mínimo, dissimulado.

O governador pmdebista vetou o projeto de lei nº 1.248/2009 que assegurava autonomia aos servidores públicos e privados para que eles escolhessem em qual instituição bancária desejaria receber o salário em conta.

Para decepção maior do deputado que assiste hoje o sofrimento dos funcionários que estão revoltados com a situação e que chegam a passar até 03 (três) horas em uma fila para serem atendidos, o vetou não foi derrubado.

Apesar do esforço do deputado a respeito do assunto nos contatos, tanto dos colegas, quanto das entidades representativas da categoria, o veto continuou mantido e o funcionalismo continua penando para regularizar sua situação cadastral junto ao BB. (banco que comprou a folha de pagamento do estado da Paraíba).

Mário Frade/portalpatos.com