Dinaldinho deve recorrer da decisão do Tribunal de Justiça. Ele mantém pré-candidatura a prefeito de Patos



O Prefeito afastado de Patos, Dinaldinho Wanderley(MDB), deverá recorrer mais uma vez da decisão desta quarta-feira, 17, no Tribunal de Justiça da Paraíba, que rejeitou por unanimidade o pedido da defesa do prefeito afastado para voltar ao cargo.

Dinaldinho foi afastado em agosto de 2018, após ser denunciado na operação Cidade Luz, juntamente com outras 12 pessoas envolvidas em um esquema de corrupção administrativa a frente da gestão.

Eles foram processados pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, desvio de recursos públicos, fraude em licitação e lavagem de capitais. A defesa de Dinaldinho irá apresentar novo recursos nos próximos dias.

As investigações realizadas até agora apontaram que, em 10 meses, a organização criminosa em que supostamente estava envolvido Dinaldinho, obteve um enriquecimento ilícito de mais de R$ 739 mil, desviados de contratos firmados com a Prefeitura de Patos, no valor de R$ 1,3 milhão.

Dinaldinho teria organizado um esquema criminodo no período anterior as eleições de 2016, quando o então candidato teria recebido vantagens ilícitas pagas pelas empresas Enertec e Real Energy, com as quais a Prefeitura de Patos manteve contrato de iluminação pública, a partir do ano seguinte, início da gestão de Dinaldinho.

Dinaldinho governou Patos por apenas a ano sete meses e 14 dias e já está afastado a mais de um ano e dez meses, restando pouco mais de seis meses para terminar o mandato conferido a ele pelo povo.

Dinaldinho ainda mantém a sua pré-candidatura a prefeito de Patos pelo MDB, partido do que por muito tempo abraçou o grupo do deputado estadual Nabor Wanderley, seu principal adversário político em Patos.

Blog do Jordan Bezerra