Deputados investem na família para conquistar prefeituras da Paraíba



Nas eleições deste ano sete deputados estaduais estão disputando prefeituras de cinco municípios da Paraíba. No entanto, eles não são os únicos membros da Assembleia Legislativa que estão envolvidos diretamente no pleito. Outros 15 parlamentares estão ‘investindo’ em familiares  na briga pelas administrações municipais. Filhos, irmãos, esposas e outros parentes de deputados são candidatos.

A maior parcela de parentes de parlamentares na disputa de outubro é formada por esposas e esposos. São seis conjugues de deputados estaduais que lutam para se manter ou conquistar as prefeituras municipais. Na cidade de Alhandra, por exemplo, a mulher de Branco Mendes (PEN), Gorete Mendes (PSDB), está na disputa par tentar substituir Renato Mendes (DEM), que é sobrinho do deputado.

Em Bayeux, na Grande João Pessoa, a esposa do deputado Domiciano Cabral (DEM), Sara Cabral (DEM), tenta voltar a prefeitura da cidade. No entanto, ela teve a candidatura barrada com base na Lei da Ficha Limpa  e ainda está recorrendo da decisão para participar do pleito. Já em Guarabira, quem concorre é o ex-prefeito Zenóbio Toscano (PSDB), que é casado com a deputada e também ex-prefeita  Léa Toscano (PSB).

Nas cidades de Areia de Baraúnas e Monteiro as prefeitas Vanderlita Guedes (PSDB), a Dequinha Mineral, e Edna Henrique (PSDB) querem continuar no poder. As duas são casadas respectivamente com Antônio Mineral (PSDB) e João Henrique(DEM). Em Pocinhos, a candidata a vice-prefeita Eliane Galdino (PSB) é esposa do deputado Adriano Galdino (PSB), que governou a cidade por três mandatos. Já o prefeito e candidato à reeleição Arthur Galdino (PSDB) é sobrinho do parlamentar.

Outros cinco deputados estaduais têm irmãos no pleito municipal, entre eles está o presidente da Assembleia Legislativa Ricardo Marcelo (PEN) que tem Tarcísio Marcelo (PSB) na disputa em Belém. Em Queimadas, Carlinhos de Tião (PSC), irmão de Doda de Tião (PPL), tenta se reeleger, a mesma situação de Aparecida Rodrigues (DEM) em São José dos Ramos, ela é irmã de João Gonçalves (PEN). Ainda têm irmãos na disputa eleitoral os deputados Tião Gomes (PSL), Paulo Gomes (PRB) em Areia; e Caio Roberto (PR), Bruno Roberto (PR) como vice de Tatiana Medeiros (PMDB) em Campina Grande.

Os deputados Márcio Roberto (PMDB) e Manoel Ludgério (PSD), que está licenciado do cargo exercendo função de secretário de Estado, decidiram investir em seus herdeiros. Jullys Roberto (PMDB) e Anna Ludgério (PSB) concorrem em São Bento e Barra de Santana. Em Araruna quem concorre à reeleição é a mãe da deputada Olenka Maranhão (PMDB), Wilma Maranhão (PMDB), que também é irmã do ex-governador e candidato em João Pessoa José Maranhão (PMDB). Na cidade de Conceição o sobrinho do deputado estadual Wilson Braga (PSD), Alexandre Braga (PDT), tenta a prefeitura e por pouco não se envolve em uma disputa familiar com a tia Vani Braga (PSD) que desistiu da eleição.

Característica de clã 
Para o cientista político Ítalo Fittipaldi as candidaturas de parentes são uma forma que os políticos encontram para manterem fortes os nomes das famílias na vida pública. “Eles começam a incentivar a  participação dos parentes como uma forma de se perpetuarem na política”, afirmou. “É uma característica clânica mesmo. Isso ocorre em todo o país, mas aparece com mais frequência na região Nordeste”, acrescentou o especialista.

O cientista ainda afirma que o apoio dos deputados a parentes nas eleições municipais desse ano também pode ser visto como uma estratégia visando as eleições estaduais de 2014. Pois com familiares no comando das prefeituras eles podem viabilizar à reeleição mais facilmente. “É uma forma de se manter com o reduto eleitoral”, afirmou Ítalo Fittipaldi.

Candidatos em cinco cidades 

Cinco cidades da Paraíba têm deputados estaduais disputando as prefeituras municipais. Em Campina Grande concorrem Daniella Ribeiro (PP) e Guilherme Almeida (PSC). Sousa tem André Gadelha (PMDB) e Lindolfo Pires (DEM) concorrendo.Luciano Cartaxo (PT) disputa em João Pessoa, Arnaldo Monteiro (PSC) em Esperança e Francisca Motta (PMDB) em Patos.

 

G1/PB