Deputado Virgolino diz que o Estado deve tratar a segurança pública com seriedade, e não maquiar números



O deputado estadual Walber Virgolino (Patriota), disse em entrevista ao jornal Notícias da Manhã, da rádio Espinharas FM de Patos, nesta terça-feira (25), que viu com perplexidade a divulgação dos números da diminuição de homicídios no São João da Paraíba divulgada, esta semana, pelo governo do Estado. 

Um balanço parcial mostrou que em 2019 houve uma redução de aproximadamente 70% nos homicídios, se comparado ao mesmo período do ano passado. 

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social em 2018 ocorreram 26 homicídios, enquanto que este ano foram registradas apenas oito ocorrências, ocasionando uma redução de 69,2%. 

Para o deputado, não há ações efetivas na Paraíba para se combater o tráfico de drogas que, segundo ele, é o crime-mãe dos demais crimes, no qual o homicídio é apenas um crime correlato. "E se não existe nenhum plano de segurança pública para se combater o tráfico, consquentemente, também não se combate o homicídio" disse. 

Ainda segundo o deputado, o Estado também não tem efetivo suficiente para respaldar esses números. 

"Nós não temos efetivo nem para atender o telefone do CIOP, quem dera PM,s nas ruas para prevenir; nós não temos policiais civis para reprimir os crimes depois que ocorrem e também não temos agentes penitenciários suficientes para conter os presos como deveriam ser contidos", criticou. 

Além disso, o deputado Virgolino afirmou que não há mais briga por pontos de drogas na Paraíba, o que termina influenciando na diminuição dos homicídios, sem a necessária interferência do Estado. 

"Eu não atribuo à política de segurança pública essa diminuição de homicídios, pois as facções criminosas mudaram o modus operandi, visto que aquele usuário ou traficante que deve ao tráfico não são mais mortos, passam a trabalhar forçados para o tráfico roubando e furtando, o que acaba aumentando os crimes patrimoniais", revelou. 

Virgolino fez questão de enaltecer o trabalho dos policiais que, mesmo sem estratégia para se combater crimes na Paraíba, agem por conta própria. Ele alfinetou a secretaria de segurança do Estado dizendo que vive de conversa ‘fiada’ e de maquiar números. 

"Eu atribuo essa redução de homicídios, se caso ela exista, a atividade de uma facção que engoliu a outra e por isso não existe mais aquela guerra resultando em mortes". 

O deputado Walber Virgolino finalizou cobrando do governo do Estado que trate a segurança pública com mais seriedade, respeito e dignidade. 

"A segurança pública vive atualmente uma operação tartaruga. Os policiais entraram numa greve branca, não porque querem, mas de forma involuntária, pois são maltratados e perseguidos. Eles também não têm valorização profissional e, em virtude de tudo isso, a segurança pública está um caos", finalizou Virgolino.

 

Assessoria