Deputado Hugo Motta revela crença em apoio do governador à pré-candidatura de Nabor em Patos



Presidente estadual do Republicanos na Paraíba, o deputado federal Hugo Motta descartou a tese de o apoio a candidatura de Cícero Lucena (PP) em João Pessoa tenha como condição a reciprocidade do apoio do Cidadania à pré-candidatura do deputado estadual Nabor Wanderley à prefeitura de Patos, mas ressaltou que espera receber o gesto do governador João Azevêdo sim.

“Se eu disser que nós condicionamos a quem quer que seja o apoio eu estaria faltando com a verdade. Nós decidimos a política de acordo com aquilo que é importante para cada município. A decisão do Republicamos em João Pessoa ao nome de Cícero não foi condicionada ao apoio em qualquer outro município ou a qualquer tipo de compromisso que venha a carimbar o partido e sobre ocupação de cargo ou alguma outra coisa. O que nós fizemos foi um debate sobre o que é melhor para João Pessoa. E claro que o apoio do governador João Azevêdo pesou na nossa decisão. Somos aliados no plano estadual, o partido está fazendo parte do governo, ele tem se esforçado para fazer com que a Paraíba supere esse momento de pandemia e eu não tenho a menor dúvida de que essa aliança com Cícero dará a João Pessoa a condição da cidade crescer e se desenvolver”, ressaltou.

Segundo Motta, Nabor é da base aliada na Assembleia Legislativa da Paraíba, e ele também apoio o governo do Estado trazendo recursos e ações de Brasília em prol do Estado, e nada mais natural que o apoio seja oficializado.

“A construção da eleição de Patos é outra. Mas o governador sabe da nossa correção, sabe que o deputado Nabor pertence a base aliada na Assembleia, ele conta com nosso apoio em Brasília para trazer recursos e acoes, sempre estivemos ao lado das demandas do governador, e não tenha a menor dúvida de que ele independente de qualquer coisa estará no nosso palanque apoiando a candidatura de Nabor Wanderley a prefeitura de Patos”, emendou.

PB Agora




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.