Demissões de contratados após vários anos de serviços causa revolta na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos



Desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira, dia 16, vários trabalhadores que prestavam serviços há vários anos na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos, estão relatando que foram demitidos sem nenhuma justificativa por parte da empresa que administra de forma terceirizada o órgão do Governo do Estado da Paraíba.

Entre as demitidas está a auxiliar de serviços Maria da Conceição Miguel da Silva que trabalhou durante 15 anos na Maternidade Dr. Peregrino Filho. Conceição disse que está desesperada, pois a renda da família depende dela. Ela tem 5 filhos e entre estas uma garota que enfrenta problemas psicológicos e vem em tratamento. “Não me deram nem aviso prévio…me deram a demissão direta sem nem me dizer nada…quero entender porque me demitiram dessa forma! ”, desabafou Conceição.

Marcos Morais, mais conhecido por Marcão, também está entre os demitidos de forma unilateral pela administração da Maternidade Dr. Peregrino Filho. O trabalhador prestou serviços durante 5 anos e na manhã desta quarta-feira recebeu a informação que estava demitido.

De acordo com relatos, os trabalhadores contratados estão em pânico diante das demissões sem justificativa. “Estamos todos desorientados aqui. Gente que faz u excelente trabalho sendo demitidos do nada. Acho que é politicagem e fizeram esse teste seletivo para enganação, mas na verdade é a politicagem que define quem entra e quem sai”, relatou uma servidora que pediu para não ser identificada.  

A maternidade está sendo administrada de forma terceirizada pela Santa Casa de Misericórdia de Birigui (São Paulo). A empresa mandou uma nota dando conta que depois do período probatório de 90 dias começou a fazer readequações nos quadros da maternidade para tornar cada vez melhor os serviços de saúde. “Neste sentido, as mudanças de quadro se fazem necessárias e oportunas…não houve extinção de postos de trabalho, apenas substituição de profissionais, e que as pessoas estão sendo contratadas após criterioso processo seletivo, a partir de cadastro de reserva”. Finaliza a nota.


Jozivan Antero – Patosonline.com