Delegados decidem manter greve



Em assembléia geral encerrada no final da manhã desta sexta-feira (26), os delegados da Polícia Civil da Paraíba decidiram por unanimidade manter a greve da categoria, que já dura 22 dias.

A assembléia foi realizada para discutir pedido do governador Cássio Cunha Lima (PSDB) para que eles voltassem ao trabalho e sentassem para negociar, mas os delegados disseram que o pedido foi feito por um intermediário não oficial.

Para o delegado Steferson Gomes, segundo vice-presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados da Polícia Civil da Paraíba (Adepdel-PB), eles permanecerão parados e só voltarão a se reunir em assembléia depois que um convite oficial do governador for feito para que eles negociem.

A assembléia serviu também para que os delegados aprovassem nota de repúdio contra o secretário de Administração do Governo da Paraíba, Gustavo Nogueira, que em entrevistas recentes ameaçou cortar o ponto dos delegados grevistas.

Nogueira tinha dito que não negociava com funcionários em greve e que como a paralisação foi considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça, ele iria mandar cortar os pontos de quem não voltasse ao trabalho.

Mas Steferson Gomes diz que a categoria não reconhece a ilegalidade da greve, pois não foram notificados oficialmente da decisão do TJ. "Mas caso sejamos citados, iremos recorrer da decisão", frisou o delegado.

Por que a greve – A reivindicação dos delegados, definidas na assembléia de 3 de dezembro, que confirmou a greve, diz respeito à aprovação, pela Assembléia Legislativa da Paraíba, do plano de reestruturação da Polícia Militar do Estado, que concedeu aos policiais militares os mesmos poderes para efetuar investigações, requisitar perícias, representar ao judiciário por prisões temporárias, preventivas e busca e apreensão.

Além disto, a categoria quer equiparação com remunerações dos Defensores Públicos e dos Procuradores do Estado que, com a aprovação dos PCCRs, vão passar a ganhar o dobro dos Delegados de Polícia.

Phelipe Caldas/paraiba1.com.br

OBS: foto meramente ilustrativa