Policial

Delegado Pedrosa fala sobre corpo encontrado em estrada vicinal em Patos

ÓTICAS GUIMARÃES

O delegado Édson Pedrosa da primeira delegacia de Policia Civil de Patos, disse hoje pela manhã que as investigações para descobrir a causa da morte do homem encontrado em estrada vicinal entre Patos e a comunidade Mocambo continuam. Porém segundo o delegado que está à frente das investigações, até o final de manhã de hoje, ninguém havia procurado pelo rapaz, nenhum familiar ou conhecido.

A vítima foi devidamente identificada como Clemildo Izidro da Silva, 33 anos, natural de Nova Olinda, segundo documentos encontrados com a vítima. Para Dr. Pedrosa o rapaz possivelmente é um andarilho e ou tem problemas mentais, que ao andar pelo sitio Mocambo caiu, talvez devido a um enfarto ou outro distúrbio cardíaco.

“Dr. Elcenho que é delegado da especializada em homicídios, esteve no local e solicitou a pericia. Porém o corpo não apresentava nenhuma lesão externa. Com isso está descartada a possibilidade de um assassinato. Após esse procedimento o corpo foi recambiado para o IML em Campina Grande, com base nos dados que estavam nos documentos da vítima” explicou o delegado.

O delegado Édson Pedrosa disse que foi feito todo um procedimento para encontrar parentes ou conhecidos do rapaz, mas que não tinha obtido êxito até o fim desta manhã.

“A principio nós informamos as delegacias das cidades de Piancó e Itaporanga, para que eles entrassem em contato com o destacamento de Nova Olinda, na tentativa de saber se existe alguns familiares dele n’aquela cidade. Estamos no aguardo de qualquer novidade a respeito, pois é muito estranho, não aparecer ninguém, que pelo menos o conheça”, disse.

O delgado finalizou fazendo um apelo para que a população ajude o trabalho da policia em encontrar algum familiar ou conhecido do rapaz encontrado morto.

“Existem situações que pessoas se perdem, não sabem onde estão, principalmente se sofrerem de problemas mentais, então alguém que saiba algo sobre Clemildo Izidro da Silva, nós estamos no aguardo do resultado da autópsia e também que apareça algum familiar da vítima para esclarecermos de vez o caso”, finalizou.

Eduardo Rabêlo

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo