Delegado de Sergipe deve levar caso da morte de empresário paraibano à Corregedoria



O delegado geral de Polícia Civil de Sergipe, Thiago Leandro Barbosa de Oliveira, esteve em João Pessoa, nesta sexta-feira (19), reunido com o delegado geral de Polícia Civil da Paraíba, Isaías Gualberto. Eles conversaram sobre a morte do empresário Geffeson de Moura, de 32 anos, assassinado em operação da polícia sergipana em Santa Luzia, no Sertão paraibano, na quarta-feira (17). Os envolvidos na ação policial afirmaram que o rapaz estava armado e teria reagido à abordagem e, por isso, foi baleado. Geffeson foi deixado no chão da entrada de uma maternidade em Santa Luzia, para onde foi socorrido, mas, já teria chegado sem vida.

Isaías Gualberto informou ao ClickPB que o delegado geral sergipano, Thiago de Oliveira, veio à Paraíba para colocar a Polícia Civil de Sergipe à disposição da Polícia Civil da Paraíba nas investigações sobre o assassinato de Geffeson de Moura. “A Polícia Civil de Sergipe está à disposição para ajudar em qualquer esclarecimento, também é interesse dele (do delegado Thiago) e vamos tomar todas as providencias. Encaminhamos ontem (18) uma documentação preliminar para a Polícia Civil de Sergipe.”

Ainda de acordo com o delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, o delegado Thiago de Oliveira agendou reunião na Corregedoria da Polícia Civil de Sergipe, para a tarde desta sexta-feira, para tratar do assassinato de Geffeson de Moura.

“Instauramos o inquérito policial e estamos trabalhando com toda a serenidade que o caso requer para apresentarmos o documento ao Ministério Público na Comarca de Santa Luzia”, pontuou o delegado geral da Paraíba, Isaías Gualberto.

Ele disse que a sociedade paraibana “pode ficar tranquila que a situação tem o empenho nosso de elucidar esse fatídico acontecimento.”

Isaías Gualberto finalizou dizendo ao ClickPB que determinou ao diretor do Instituto de Polícia Científica (IPC), Marcelo Burity, agilidade nos resultados dos exames solicitados para embasar o inquérito policial e concluí-lo “o quanto antes”.

Na reunião em João Pessoa, segundo Isaías Gualberto relatou ao ClickPB, o delegado Thiago de Oliveira não entrou em detalhes sobre a situação que terminou com a morte do empresário natural de Cajazeiras, no Sertão paraibano.

Clickpb