Gerais

Deixada em Patos há 44 anos, patoense procura sua mãe que pode está em Catolé do Rocha. Veja a emocionante história

A Redação do Patosnline.com recebeu nesta sexta-feira, 27 de setembro, o pedido de divulgação da história da senhora, Edicleide Maria de Jesus, 44 anos, dona de casa, residente no bairro Bivar Olinto, setor oeste de Patos. Sua vida, até o momento, já daria um início de livro.

Era o ano de 1976, quando Edicleide foi deixada com 16 dias de vida na casa da senhora Ana Claudina Amorim, conhecida por “Nanú” que residia nas proximidades do Estádio José Cavalcanti, bairro Belo Horizonte aqui em Patos.

A bebê foi deixada por uma jovem mãe de 22 anos, conhecida apenas por “Maria Galega”, garota de programa, que podia criar a criança no ambiente que vivia.

Essa história foi repassada ao Patosonline por Dona Nanci, neta da mulher que criou Edicleide, e por isso uma espécie de irmã de criação.

Segundo Nanci, hoje com 44 anos, Edicleide sonha muito em saber notícia de sua mãe biológica, e quem sabe, encontra-la com vida. Maria Galega (mãe biológica de Edicleide), teria ido embora para a região de Catolé do Rocha, e se vive estiver, tem entre 60 e 70 anos de vida.

Essas são as únicas informações que restaram da mãe de Edicleide, mas o suficiente para alimentar diariamente essa vontade enorme de conhecer um pouco mais de suas origens.

Outra informação repassada a nosso equipe por Nanci, é que o Pai de Edicleide seria um policial militar a época, identificado por Edmilson da Família Aladim, que inclusive chegou a conhecer a filha, e até ajudou nos primeiros anos da vida da criança, porém faleceu algum tempo depois.

Quem souber qualquer informação aqui em Patos ou não região de Catolé do Rocha que possa levar Edicleide mais próximo a suas origens pode deixa comentário aqui no Patosonline.com.

Dona Nanu – já falecida. Criou Edicleide

Patosonline.com

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close