Mundo

Cuba autoriza livre entrada de alimentos e remédios

Após registrar dias de muito protesto, o regime de Cuba autorizou a entrada livre no país de alimentos, remédios e produtos de higiene trazidos por viajantes. A medida começa a valer na segunda-feira (19) e tem validade até o dia 31 de dezembro.

O governo concordou em autorizar “excepcionalmente e temporariamente” a importação desses produtos, trazidos por passageiros, sem limite de valor e sem o pagamento de taxas. O anúncio foi feito na TV cubana por Manuel Marrero, considerado o número dois no comando do país. Ao lado dele, o líder Miguel Díaz-Canel, que viu os cubanos nas ruas pedindo mais liberdade e políticas efetivas de combate à escassez de alimentos e remédios.

Em Cuba, as leis permitem a importação não comercial, sem impostos, de 10 kg de medicamentos, enquanto impõem maiores limites a alimentos e outros produtos. Segundo o número dois, não haverá restrições impostas pelo regime, nem pela alfândega, e quem irá determinar esse limite será a companhia aérea.

Essa era uma das demandas de acadêmicos e intelectuais em carta aberta enviada ao governo recentemente. A crise no país motivou também os protestos no domingo (11) e na segunda (12), em cerca de 40 cidades da ilha. Os atos que ganharam as ruas do país têm dimensão incomum quando comparados aos vistos nas últimas décadas.

MaisPB

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo