• Dra Milena
Locais

CRM vai investigar denúncia sobre pacientes com Covid-19 em alas do Hospital de Patos

De acordo com o hospital, os pacientes com COVID-19 passam pela área e por outras alas porque precisam fazer um exame de tomografia

ÓTICAS GUIMARÃES

A TV Contexto trouxe a denúncia, nessa terça-feira (8), de que pacientes com enfermidades comuns estavam sendo expostos ao risco de contaminação da COVID-19 no Complexo Hospitalar de Patos. Em um vídeo a que a reportagem teve acesso, um paciente com COVID-19 é conduzido em uma cadeira de rodas pela Área Verde do hospital, onde se encontram pessoas que estão em observação ou em espera e que não estão com a doença.

De acordo com o hospital, os pacientes com COVID-19 passam pela área e por outras alas porque precisam fazer um exame de tomografia. Como a unidade só dispõe de um equipamento para todos os usuários, para chegar ao local, só havia esse acesso até o momento.

A reportagem tentou conversar com a assessoria do Complexo Hospitalar, mas apenas no dia seguinte recebeu uma resposta em Nota de Esclarecimento. Entretanto, o diretor do hospital, Dr. Francisco Guedes, conversou com o programa Polêmica, da Rádio Espinharas, quando ele confirmou que o problema de fato ocorre e explicou a situação.

“Quando a COVID foi estabelecida, na época, o espaço foi interditado para que essa área fosse isolada e não houvesse essa circulação, a única problemática que se manteve foi que o paciente que necessitasse de uma tomografia, um único caminho que ele teria que percorrer, infelizmente, era o acesso pela área verde. Mas eu já vinha trabalhando a mudança do fluxo, porque, com a ampliação que fizemos, criamos um outro acesso, onde surgiu a viabilidade de ele percorrer por lá, outra porta onde o paciente sairá do Isolamento COVID e cairá dentro do Tomógrafo. Então ele deixará de transitar por qualquer área que fiquem pacientes da urgência e emergência e da área verde. Com essa mudança, nós vamos trazer mais segurança para outros pacientes e também para o usuário”, declarou o diretor.

Em uma entrevista, a Chefe de Enfermagem do Complexo, Séfora Cândida, negou que haja a possibilidade de os pacientes serem infectados. Segundo ela, todos usam máscaras e, portanto, não podem contrair o vírus. Embora o distanciamento social seja uma política mundial de combate à disseminação da COVID-19, Séfora desconsiderou que possa haver a contaminação de outros pacientes com esse procedimento. Apesar disso, o hospital realizou uma grande mudança, no início da pandemia, para separar os pacientes com COVID-19 daqueles que não portam a doença, evitando assim a contaminação em massa. Após a denúncia, o hospital suspendeu esse procedimento.

Conselho Regional de Medicina

A TV Contexto também conversou com o Conselho Regional de Medicina. Em resposta, um dos conselheiros informou que haverá uma posição formal ao caso, mas adiantou que o órgão vem fiscalizando com frequência a Unidade Hospitalar citada, sem prévia comunicação, e que várias irregularidades já foram denunciadas, até mesmo a interdição de algumas salas cirúrgicas.

Ainda segundo o conselheiro, a equipe de fiscalização do CRM, em suas visitas ao Complexo, não chegou a presenciar a conduta e não recebeu nenhuma denúncia anteriormente, mas assegurou que, após o vídeo e o pronunciamento do diretor, a denúncia será apurada e as medidas cabíveis, adotadas pelo conselho.

https://youtube.com/watch?v=XM31pSeBpss%3Ffeature%3Doembed

Junior Macena – TV Contexto


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo