CRM-PB interdita Hospital Municipal de Soledade por falta de médicos



O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente o Hospital Municipal de Soledade por falta de médicos, após fiscalização ocorrida na manhã desta terça-feira (2). No momento da fiscalização, não havia nenhum médico no local, não há escala médica, nem um diretor técnico responsável pelo hospital. Soledade fica a 185 km de João Pessoa e a 60 km de Campina Grande e possui apenas este hospital municipal.

“Encontramos uma situação preocupante na cidade de Soledade. Havia dois pacientes internados sob cuidados da equipe de enfermagem. Além do único hospital estar sem médicos, a unidade de saúde ainda não está adequada para receber pacientes suspeitos e confirmados com a Covid-19”, disse o vice-presidente do CRM-PB, Antônio Henriques, que realizou a fiscalização com o conselheiro Bruno Leandro de Souza.

“O hospital começou a preparar uma ala contra o coronavírus, mas ainda não há previsão de quando estará pronta. O município está bem atrasado, pois a Paraíba está atingindo o pico da doença, com muitos casos confirmados a cada dia”, ressaltou Bruno Leandro.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, afirmou que a interdição ética é o último recurso do Conselho para que a população não seja prejudicada. “Um hospital sem médicos é um risco para os pacientes e para os demais profissionais de saúde. Infelizmente tivemos que promover a interdição que será mantida até que a escala médica seja apresentada”, disse João Alberto.

A interdição ética do CRM-PB impede que os médicos prestem seus serviços na unidade de saúde até que as inconformidades encontradas pelo Conselho sejam corrigidas. A interdição do Hospital de Soledade tem início a meia noite desta terça-feira (2). Assim que a escala médica estiver completa, o hospital será desinterditado pelo CRM-PB.

Clickpb