Policial

CPTRAN espera e cobra solução para o destino dos veículos recolhidos ao pátio do 3º. BPM

ÓTICAS GUIMARÃES

Um grande número de motocicletas e veículos apreendidos em ações da PM na cidade de Patos permanece ocupando espaço no pátio do 3º. BPM, local que atualmente vem se tornando pequeno para abrigar tantos veículos.

A tendência é piorar caso novas blitz sejam realizadas e nelas aconteçam mais apreensões a partir da identificação de irregularidades.

Quem visita a unidade constata a situação sendo que muitos desses veículos não apresentam mais condições adequadas de circulação de tanto tempo encostados.

Outro fator observado é que para as suas retiradas necessita-se a regularização junto ao DETRAN a partir do pagamento de impostos ou multas. Outro problema crucial é que parte deles pertence a pessoas não habilitadas e sem recursos compatíveis a quitação dos débitos resultando no abandono dos mesmos.

O que mais ocupa espaço no pátio do 3º BPM, segundo constatou a reportagem da Rádio Espinharas, são as motocicletas que estão recolhidas em sua maioria parte pela falta do licenciamento e outros documentos importantes.

A responsabilidade sobre o recolhimento dos veículos que deveria ser do Departamento Estadual de Trânsito, hoje sem oferecer estrutura adequada para receber os automóveis apreendidos pela Polícia Militar gera desconforto e um grande problema que exige solução imediata.

“Não temos mais espaços. Os carros e motos apreendidos estão ocupando os lugares destinados até às viaturas”, informou Tenente Leonides (foto), ao jornalista Marcelino Neto, que esteve visitando o local nesta terça-feira (31).

Embora a decisão do Governo do Estado de perdoar as dívidas das taxas estaduais até 2010 para as motocicletas de até 150 cilindradas tenha sido validada como excelente oportunidade para os proprietários desses veículos resolverem suas pendências, ainda se contabiliza aproximadamente 180 motocicletas entulhadas no pátio do 3º. BPM.

“Uma preocupação nossa é com relação aos festejos juninos, quando no período milhares de veículos aumentam o trafego em Patos, observando-se uma maior incidência de acidentes e infrações com alguns deles recolhidos. Não estamos com espaço para atender uma demanda tão grande quando essa atribuição deveria ser do DETRAN” enfatizou Leonides.

Sem ter para onde enviar os veículos irregulares, a CPTRAN espera e cobra uma solução para o destino dos carros e motos que literalmente estão abandonados no local.

 

Matéria e fotos: Marcelino Neto 

 


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo