Couto diz que há matadores de aluguel na Polícia da Paraíba



O deputado federal Luiz Couto (PT) disse nesta segunda-feira (26) em entrevista ao programa Correio Debate, da Correio Sat, que a Polícia da Paraíba precisa ter os seus quadros revistos. Ele afirmou que há cinco policiais que estão envolvidos em prática de matância – recebendo dinheiro dos mandantes para por em risco a segurança dos paraibanos – e que continuam atuando como policiais sem que nada lhes aconteça, recebendo, inclusive, os seus salários pagos com dinheiro público.

Luiz Couto falou que antes de mais nada é preciso que as autoridades ligadas a segurança no estado admitam que na Paraíba existem grupos de extermínio. "Se fizerem um trabalho correto, certamente vão descobrir os mandantes e os seus financiadores e protetores. Não precisa ser adivinho. Basta um trabalho sério que a verdade aparece", destacou.

Segundo o deputado, é necessário uma ação urgente e enérgica do Serviço de Inteligência da Polícia para combater a ação de grupos de extermínio no Estado que agem porque não há punição. "A impunidade é a alma da criminalidade", definiu.

O deputado federal ressaltou que entidades ligadas aos direitos humanos na Paraíba e no Brasil vão lutar para que os responsáveis pela morte do advogado Manoel Bezerra de Matos Neto, 44 anos, ocorrido no Distrito de Acaú, em Pitimbu, na noite de sábado (24), seja esclarecida e o ou os culpados punidos. Ele acredita que quem está por trás da morte do advogado e vereador do PT Manoel Matos tenha ligação com grupos de extermínio.

O parlamentar defendeu a atuação do Serviço de Inteligência para descobrir os agentes que integram os grupos de extermínio da Paraíba. "Os matadores mofam na cadeia sem dizer quem são os mandantes dos crimes. Por isso é tão importante que o Serviço de Inteligência da Polícia adote as suas técnicas para extrair as informações dessas pessoas de modo a se chegar aos cabeças dos grupos de extemínio, punindo-os também", avaliou.

O deputado voltou a lembrar que um trabalho de investigação pode dar resultado e citou como exemplo o caso do Estado vizinho Pernambuco. Lá, segundo Luiz Couto, foram desbaratados grupos de Extermínio que agiam em Caruaru, Jaboatão de Guararpes, Olinda e na Grande Recife.

Questionado sobre a sua própria segurança, o deputado Luiz Couto disse que não teme por sua vida e que se sente protegido por Deus e por sua fé, mas reconhece que a insegurança no Estado causa temor não apenas a ele, bem como em todo paraibano.

Portal Correio