Corpo do cozinheiro paraibano morto na China chegou neste sábado a Cajazeiras



Após onze dias da morte do cozinheiro paraibano mais famoso no mundo gastronômico, seu corpo chega a sua terra natal, Cajazeiras. O corpo chegou a capital João Pessoa neste sábado(04) e foi recebido no Aeroporto Castro Pinto, pela esposa, filho, parentes e amigos.

Segundo informações de Ana Lucia irmã do cozinheiro, o cortejo fúnebre saiu de João Pessoa no inicio da manhã e chegou a Cajazeiras por volta das 14h30, onde está sendo velado na Central de Velórios Memorial Esperança. O sepultamento de Valdenir Augusto de Souza, conhecido no mundo gastronômico como Loya, 35 anos será neste domingo as 17h00 no Cemitério Nossa Senhora Aparecida.

Família, amigos e curiosos, prestam sua ultimas homenagens ao famoso cozinheiro, que deixou sua terra natal em busca de melhores dias para sua familia e anos depois retorna em uma urna funebre.

Loya como era conhecido pelos, amigos, teve uma infancia dificil, chegando a pedir aos vizinhos para se alimentar. Originário de familia pobre, o cozinheiro paraibano recentemente, quando da enchente de Santa catarina, fez um gesto de solidariedade para com as vítimas daquela tragédia que ficará marcado na história. Loya repassou todo seu dinheiro que estava depositado em uma conta poupança no Brasil para as vítimas da tragédia, segundo a sua amiga Kátia Brilhante.

Relembre o caso
Por volta das 04h00 da manhã ( horário da China ) e 16h00 ( horário de Brasília ), do dia 24, uma terça-feira, o cozinheiro paraibano, natural de Cajazeiras, Valdenir Augusto de Souza, conhecido no mundo gastronômico como Loya, 35 anos, faleceu vitima de um acidente de moto.

Informações preliminares, davam conta que Valdenir, voltava para seu apartamento depois de mais uma noite de trabalho, quando sofreu o acidente que o vitimou.

Segundo o sócio do cozinheiro paraibano, a policia chinesa averiguou as imagens das câmeras que ficam espelhadas pelas ruas de Pequim para desvendar como tudo aconteceu. Constatou-se porem que Loya foi realmente vitima de um trágico acidente, uma fatalidade.

Mesmo com as informações preliminares, os familiares do cozinheiro ainda acreditam na possibilidade de homicídio, tendo em vista que, Loya havia telefonado poucos dias antes da sua morte para sua esposa, orientando a mesma a fazer um seguro de vida em seu nome, dizendo que estava perto de morrer. Outra evidencia que deixa os familiares suspeitando de um crime, é que as câmeras não captaram o momento do acidente, exibindo apenas cenas em que o cozinheiro já estava estendido ao chão e sua moto ao lado.

Após o sepultamento, a família garante que buscará meios junto à embaixada brasileira na China, na tentativa de esclarecer melhor como tudo aconteceu.

JOSELITO FEITOSA