Comerciante cobra transparência nos recursos arrecadados no Mercado e no Matadouro Municipal de Patos



O comerciante Joselito, mais conhecido por Mamulengo, que tem empreendimento na área de bovino, caprinos e suínos para consumo de carne em Patos e Região, vem constantemente se queixando da falta de transparência e retorno dos recursos arrecadas no Matadouro Municipal de Patos e nos mercados públicos municipais.

Nesta terça-feira, dia 23, durante entrevista ao Programa Polêmica, concedida pelo prefeito interino de Patos, Dr. Ivanes Lacerda, sobre os recursos arrecadados nos órgãos públicos, Mamulengo se queixou da falta de transparência, mesmo diante de leis que garantem transparência e uso dos recursos na melhoria dos serviços.

Mamulengo fez cálculos sobre quanto se arrecada com as taxas cobras dos comerciantes no abate de animais no Matadouro Municipal de Patos, bem como de cobranças aos que tem boxes nos mercados, especialmente o Mercado Modelo Juvino Lilioso. Apenas no abate de animais para consumo de carne, cálculos feitos ao ano, o comerciante apontou arrecadação de mais de Três Milhões e Setecentos Mil Reais.

Os cálculos foram minuciosos e baseiam-se na arrecadação das taxas cobradas pelo abate de bovinos, caprinos e suínos por semana. O comerciante deixou de fora os valores pagos pelos donos de boxes. No Matadouro, de acordo com Mamulengo, os valores são pagos em mãos e isso permite mais falta de transparência ainda no que se cobra.

Diante das indagações e até da indignação do senhor Joselito, o prefeito interino de Patos, não se posicionou sobre os fatos levantados, porém, disse antes que tem feito algumas mudanças para melhorar a arrecadação e dar mais transparência.


Jozivan Antero – Patosonline.com