Com esgotos e falhas estruturais, Canal do Frango se torna desafio para Prefeitura Municipal de Patos



Desde 2011, a Prefeitura Municipal de Patos, através de recursos do Governo Federal, deu início às obras de construção do Canal do Frango, obra pública orçada em quase R$ 30.000.000,00. Passados 8 anos, a bacia do Canal do Frango, que inclui o Canal do Novo Horizonte e do Noé Trajano, ainda não foi concluída e é um desafio diante dos esgotos e falhas estruturais.

O Canal do Frango foi construído com o objetivo de evitar inundações nas residências nas suas margens, porém, já se provou ser ineficaz diante de chuvas mais intensas. Várias inundações vêm sendo registradas e para alguns moradores, a obra embelezou a paisagem, no entanto, não trouxe solução para evitar danos em tempos chuvosos.

No início do mês de outubro de 2019, a Prefeitura Municipal de Patos, tendo a Secretaria de Serviços Públicos do Município, deu início a mais uma fase de limpeza dentro do leito do canal, está fazendo poda de árvores e a pintura do meio fio. Em vários trechos, também foram realizados reparos no asfalto que cedem com frequência e os buracos surgem trazendo problemas.

Emendas parlamentares engordaram o orçamento para a conclusão da bacia do Canal do Frango. A lentidão na finalização do Canal do Novo Horizonte e do Noé Trajano também trouxeram problemas para os moradores e ainda não se sabe ao certo quando a obra terá sua conclusão completa.

Esgoto permanente onde não deveria existir, plantas inadequadas que provocam danos na estrutura e uma fedentina que não cessa e traz desconforto aos moradores. A lama verde faz nascer mato que se tornou símbolo no local e faz proliferar insetos dos mais diversos.

O Canal do Frango deveria começar no Bairro Santa Clara, no entanto, foi iniciado no Jardim Lacerda. Ele também deveria escoar dentro do Rio Espinharas, mas termina ao ermo no Jardim Europa quando poderia facilitar o tráfego viário aos moradores do Bairro Juá Doce. Enfim, a obra é o símbolo do mau uso do dinheiro público e ainda não se sabe quando será concluída.


Jozivan Antero – Patosonline.com