• Dra Milena
Gerais

Com 17 casos na Paraíba, varíola dos macacos é classificada em transmissão comunitária, diz secretária

A profissional disse que não é momento de pânico, mas alertou a população para cuidados especiais e lembrou que em casos suspeitos, o indivíduo deve procurar o serviço de saúde urgentemente

ÓTICAS GUIMARÃES

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou no início da noite desta quinta-feira (13), a atualização dos dados da Varíola dos Macacos na Paraíba. No boletim da quarta (14), mais um caso em João Pessoa já havia sido confirmado. O estado agora conta com 17 casos ao todo.

Nas novas informações da Secretaria Estadual de Saúde, no Sertão da Paraíba, Cajazeiras permanece com cinco casos em investigação, Sousa surge novamente com 01 registro suspeito e Patos também continua com um caso sendo investigado.

Conforme o boletim atualizado nesta quinta (15), até agora na Paraíba, são 221 notificações, destas 17 confirmadas, uma provável, 110 descartadas e 93 seguem em investigação.

SECRETÁRIA DE SAÚDE

Após o 17º caso confirmado nesta quarta-feira (14), a secretária de saúde da Paraíba, Renata Nóbrega, falou sobre a situação do estado e disse que “dentro do critério de avaliação epidemiológica, a doença já entra em uma classificação de transmissão comunitária”. Ela ressaltou que não é momento de pânico, no entanto, esclareceu sobre a prevenção e alertou para que em casos de surgimento de sintomas como lesões de pele junto com febre, é necessário procurar um serviço de saúde mais próximo.

“Destacamos a toda a população a necessidade e a importância referente também mediante um caso suspeito as medidas também de cumprimento de seu isolamento, o cuidado domiciliar no seu ambiente. Conseguir manter isolado as questões de uso de materiais de higiene pessoal, a questão de descartáveis para que se evite também o contágio com essas lesões na pele que é o que mais transmite a doença, e levando em consideração também a higienização habitual e ampliada no cenário de quarto, banheiro mediante utilização”, pontuou.

A DOENÇA

De acordo com os órgãos de saúde, o vírus poder ser passado de pessoa para pessoa e os principais sintomas da doença são: febre, dor de cabeça e dores no corpo, dor nas costas, calafrios, cansaço, feridas na pele e gânglios inchados.

A orientação da SES é que em caso de surgimento de algum sintoma, a pessoa deve urgentemente procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou um Hospital Regional, caso tenha no município. O objetivo é fazer a coleta de material para investigar o caso.

CLIQUE AQUI e veja os números.

Fonte: Portal Diário


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo