Chica Motta disse que a AL teve ano difícil



A deputada estadual Francisca Motta (PMDB), foi a entrevistada do programa Cidade em Debate da rádio 102 FM, na tarde de hoje (segunda-feira), onde fez um balanço dos trabalhos legislativo desse ano, na Casa de Epitácio Pessoa (Assembléia do Estado).


 


A deputada classificou de difícil esse ano de 2008, afirmando que muitas vezes o clima dentro da Assembléia foi hostil, e acusou o presidente da Casa, deputado Arthur Cunha Lima, de ser parcial e de tratar com indiferença os deputados da oposição.


 


Ela classificou de maior satisfação pessoal, ver entrar em funcionamento o UTI do Hospital Infantil de Patos, uma reivindicação sua (dela), há mais de seis anos. “Senti uma satisfação enorme ver inaugurada a UTI do Hospital Infantil de Patos, pois há seis anos batalhava por isso”, disse Francisca Motta.


 


Francisca Motta ainda lamentou o fato da cidade de Patos não ser contemplada pelo governador do estado, que segundo ela, não matem sequer um convênio para beneficiar Patos. “Patos deu uma votação estrondosa na primeira eleição do governador, mas ele não retribuiu aos patoenses”, disse Motta.


 


Sobre a questão da cassação do governador Cássio Cunha Lima pela Justiça Eleitoral, a deputada declarou que acredita na punição de Cássio Cunha Lima, pois as provas são contundentes, e não existe outra saída a não ser a cassação do governador. “Essa seria uma respostas da justiça as irregularidades praticadas pos Cássio”, disse Francisca.


 


Sobre suas metas para 2009, Francisca Motta disse que se for situação (caso Maranhão assuma o governo), lutará para trazer muitas melhorias para Patos. No caso de continuar sendo oposição (caso Cássio permaneça no cargo), Motta disse que continuará sempre cobrando do governador, como tem feito durantes os últimos anos.


 


Patosonline.com