Cerimônia no Planalto marca homenagem póstuma a cantor Pinto do Acordeon nesta terça-feira (01)



Evento contou com as presenças do presidente Jair Bolsonaro, do ministro Marcelo Álvaro e do secretário Mário Frias, entre outras autoridades
“Todos aqueles que passam por essa vida e deixam exemplos como o de Pinto do Acordeon merecem ser reconhecidos”. Foi o que afirmou o presidente da República, Jair Bolsonaro, ao participar nesta terça-feira (1º de setembro), no Palácio do Planalto, de cerimônia em homenagem ao cantor e compositor paraibano Pinto do Acordeon, falecido em 21 de julho de 2020, aos 72 anos.

No evento, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, entregou à viúva do músico, Madalena Alves, uma placa alusiva à contribuição do artista ao fortalecimento da cultura nacional. “Hoje celebramos esse patrimônio cultural do Brasil, que marcou nossas vidas com suas canções. Quero dispensar meu carinho a esse compositor, que deixa muitas saudades”, declarou Michelle.

Também presente, o ministro do Turismo enalteceu a trajetória de Pinto do Acordeon e frisou que o legado do cantor evidencia a riqueza cultural do Brasil. Marcelo Álvaro Antônio ressaltou ainda ganhos da junção das pastas da Cultura e do Turismo pelo presidente Bolsonaro e garantiu empenho por avanços nos dois setores em meio à pandemia do novo coronavírus.
“Pinto do Acordeon será sempre uma referência à cultura brasileira, mostrando a força do nordestino. Seguimos no trabalho, junto ao presidente Bolsonaro, de valorizar nossos patrimônios culturais. A junção cultura-turismo permitiu avançarmos nas duas áreas. E, apesar da pandemia, temos incentivado a retomada do turismo e da cultura com segurança”, destacou o ministro.

O músico, cujo nome era Francisco Ferreira Lima, nasceu em Conceição (PB) e ganhou fama a partir de apresentações com Luiz Gonzaga, o ‘Rei do Baião’. O secretário especial da Cultura, Mário Frias, que acompanhou a homenagem, elogiou a contribuição do artista à identidade nacional. “Com muito talento, marcou nossas vidas e nos enche de orgulho de sermos brasileiros”, afirmou.

O evento contou ainda com as presenças de três filhos de Pinto do Acordeon – Cíceo, Moisés e Samuel. Também acompanharam a cerimônia o secretário-executivo do MTur, Daniel Nepomuceno, o secretário-executivo adjunto do órgão, Higino Brito, e o secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões da Pasta, Lucas Fiuza, entre outras autoridades.


CARREIRA – Pinto do Acordeon gravou seu primeiro LP em 1976 e possui 20 álbuns em seu nome (entre CDs e LPs). Vítima de um câncer na bexiga, problemas renais e diabetes, o artista, que também foi vereador em João Pessoa (PB) entre 1993 e 1997, compôs canções para nomes ilustres da música brasileira, como Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos e Fagner.

Em 2019, seu trabalho recebeu reconhecimento do Governo da Paraíba como Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado. O artista, que também foi agraciado com o título “Mestre das Artes Canhoto da Paraíba”, conquistou ainda o troféu Gonzagão 2016. O prêmio, considerado o ‘Oscar’ da música nordestina, enaltece artistas que traduzem a essência da cultura da região em suas obras

Edição: Rafael Brais
Blog do Marcelo Negreiros com informações da Assessoria do Ministério do Turismo




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.