Câmara intermedeia solução para os Sem Teto que ocupam terreno da prefeitura no Conjunto dos Sapateiros



A Câmara Municipal de Patos-PB, através de uma comissão formada especificamente para acompanhar a situação dos Sem Teto alojados em um assentamento montado no terreno onde a administração promete construir um Galpão, ao lado do Conjunto dos Sapateiros, vem intermediando junto ao Chefe do Poder Executivo, alternativas que possam minimizar os efeitos sociais que provocarão o despejo das famílias, determinado pela justiça (nesse momento de pandemia) numa ação impetrada pelo município, pedindo a reintegração de posse da área. A comissão é formada pelos vereadores Jamerson Ferreira (PL), Josmá Oliveira (Patriotas) e Zé Gonçalves (PT).

Na tarde desta terça-feira (09), algumas famílias que permanecem no loca, mesmo depois da sentença judicial, procuraram os vereadores para pedir o apoio do Poder Legislativo. “A gente não pode permitir o despejo de 21 famílias num momento desse de pandemia. É muita crueldade com esse povo”, criticou Zé Gonçalves (PT), durante pronunciamento na tribuna da casa, lamentando a decisão de representantes do governo, de pedir o apoio da Policiai Militar, durante uma visita feita ao local. “Lá não tem bandido nem bandida não.”, afirmou Gonçalves. “São trabalhadores e trabalhadoras desempregados, com crianças e idosos em situação de insegurança alimentar e, até, pessoas com necessidades especiais.”, acrescentou o petista. Já o vereador Jamersom Ferreira (PL), sugeriu como solução, que o prefeito Nabor Wanderley (Republicanos) acomode essas famílias nas casas do Conjunto dos Sapateiros que estão sendo alugadas ou colocadas à venda. “O problema mora de frente da solução.”, observou o parlamentar, reafirmando que a comissão continua analisando todas as vertentes e estudando a melhor alternativa. “Em recente contato com o procurador do município, sugerimos que ele postergasse o prazo para retirada dessas famílias, até que se possa encontrar uma solução que possa minimizar os efeitos do despejo que serão provocados pelo cumprimento da reintegração de posse, determinada pela justiça.”, informou Ferreira.

Na semana passada o vereador Josmá Oliveira (Patriotas) já havia relatado sua preocupação com a situação dessas famílias, responsabilizou a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Habitação e indagou: “Onde estão as políticas públicas dessa pasta que ainda não chegaram pra essas famílias?”, questionou o parlamentar, defendendo uma ação enérgica e urgente por parte da gestão municipal.

Assessoria