BRASIL – Maceió sofre com onda de violência. Veja vídeos



Após o fechamento das lojas no Centro, o domingo (18) está sendo marcado por várias denúncias sobre onda de assaltos e arrastões em Maceió. A polícia vem recebendo várias informações de crimes e pessoas ligam a todo momento para fazer novos relatos de violência. Policiais criticam o que chamam de "clima de terror" que vem sendo criado na cidade.

As denúncias começaram ainda na noite do sábado, quando a informação era de que teria ocorrido um arrastão no bairro do Tabuleiro do Martins, fato não confirmado pela polícia.

Hoje pela manhã, a situação foi ainda mais crítica, já que o Comércio chegou a ser fechado depois de uma grande correria e pânico de consumidores e pessoas que trabalham nas lojas. A polícia chegou a fechar várias ruas e fez uma grande varredura pelas ruas do Centro de Maceió.

No início da tarde, várias ligações com denúncia de outra onda de assaltos, desta vez nos bairros do Farol, Pajuçara e Jaraguá, onde estabelecimentos que funcionam no domingo, como farmácias, também teriam fechado as portas. A polícia mandou equipes para os locais, mas nenhum dos casos foi confirmado.

Em virtude das denúncias, o shopping Maceió, em Mangabeiras, decidiu reforçar o efetivo de seguranças neste domingo.

Um oficial da PM de serviço neste domingo, que preferiu não ter o nome revelado, afirmou que está se criando um clima de terror em Maceió, o que apenas favorece a criminalidade. "Viaturas são deslocadas de pontos estratégicos para atender falsas ocorrências, o que só beneficia a ação dos bandidos. Pedimos para a população ter calma e somente acionar a polícia nos casos que forem realmente confirmados", ressaltou.

O clima de medo gerado em Maceió começou na última terça-feira, quando homens armados fizeram um arrastão fechando lojas no bairro do Jacintinho. Na quarta-feira, eles incendiaram dois ônibus, no terminal do conjunto José da Silva Peixoto e outro na Cambona.

Na noite da quinta-feira, criminosos atearam fogo a um outro ônibus no conjunto Eustáquio Gomes e espancaram o motorista. Como resposta, no dia seguinte, a secretaria de Defesa Social isolou 26 detentos do Sistema Prisional que estariam por trás dos ataques aos coletivos. Outros 20 presos devem deixar Alagoas esta semana para penitenciárias federais.

 

 

     

Tudo na Hora.com