Bolsonaro está certo, mas errado. Por Misael Nóbrega



Bolsonaro está errado em dizer que esse isolamento social pode causar sérios problemas a economia do país? Não. Ele está errado em incentivar as pessoas a retornarem ao trabalho de forma irresponsável e inconsequente. Esse retorno tem que ser feito, gradativamente, sob orientação das autoridades sanitárias que estão monitorando os números da Covid-19 e tentando achatar a curva de contaminação.

Sabemos que as diminuições dos níveis de consumo, de produtividade das empresas e de emprego, podem provocar uma recessão; então, que mantenham as medidas visando a desaceleração da doença ao mesmo tempo em que se adotem diretrizes objetivando reavivar essa economia.

Bolsonaro está errado em dizer que a Covid-19 não passa de uma “gripezinha”? Em parte, não. Ele está errado em desconsiderar o nível de contaminação da doença que atinge rapidamente um contingente muito grande de pessoas (20 em cada 100), correndo o risco de colapsar a saúde pública, caso um grande número de pacientes infectados procure à assistência médica, já precarizada e comprometida com os atendimentos corriqueiros e até mais graves.

Bolsonaro está errado em dizer que a mídia está provocando histeria nas pessoas com o anúncio dos números de casos? Não. Mas, está errado em responsabilizar a imprensa. Os números da pandemia são reais.

A mistura de informações falsas e verdadeiras, assim chamada de infodemia, é que está deixando todos aflitos. E são, justamente, os veículos de comunicação que estão buscando separar as versões oficiais das Fake News, provocadas pela precocidade das informações disseminadas pelas redes sociais, numa velocidade insuperável. O que temos que entender é que hoje acompanhamos a Covid-19 em tempo real o que já provoca uma sensação de pânico terrível.

Para se ter uma ideia, a gripe espanhola levou meses para o mundo reconhecer que existia. O mesmo aconteceu com a Zika, principalmente, aqui no Brasil, onde foi preciso as pessoas verem os casos de microcefalia nas crianças para acreditarem na sua gravidade. Neste exato momento, enquanto você está lendo esse artigo, dezenas de informações estão chegando no seu celular.

Bolsonaro está errado em dizer que o grupo de risco é das pessoas acima dos 60 anos? Não. Mas o fechamento de escolas é importante, porque mesmo sendo a faixa etária menos sensível a complicações, as crianças podem contaminar as pessoas de seu convívio familiar, por serem vetores. Principalmente, aquelas que têm doenças crônicas ou imunidade baixa. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu publicamente que a pandemia já provocou a morte de crianças – O que aumentou ainda mais o grau de preocupação com o Coronavírus. “O risco é menor, mas não é ausente”.

Mas, numa coisa Bolonaro está completamente certo (e nada errado), ao fazer referência aos profissionais de saúde (…) “Que na linha de frente nos recebem nos hospitais nos tratam e nos confortam…”.  Por fim, desejo a todos que mantenham os hábitos de higiene, pois a Cloroquina, apesar de liberada pelo Ministério da Saúde, não é indicada para a proteção ou casos leves da doença.

– E, claro, uma grande dose de amor no coração.

*Misael Nóbrega de Sousa

error0
Tweet 20
fb-share-icon20
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com