Gerais

Bispo Dom Eraldo comenta flexibilização do uso de máscaras: “Continuarei usando; não é de uma hora para outra”

ÓTICAS GUIMARÃES

O Bispo da Diocese de Patos, Dom Eraldo Bispo da Silva, comentou a respeito da flexibilização do uso de máscaras contra a Covid-19, que foi determinada por um Decreto expedido pelo governo da Paraíba no início do mês de abril. Segundo o Bispo, seguirá utilizando a sua máscara, pois acredita que, em sua consciência, não é o momento adequado para se desfazer do utensílio de proteção.

Para Dom Eraldo, a máscara é uma forma de se manter seguro e, por conta dos casos que persistem, embora tímidos, vai manter o costume até que tenha absoluta certeza de que deve abandoná-la.

“Já estamos com a liberação do uso das máscaras, segundo as autoridades do nosso estado, que nós obedecemos durante toda a pandemia. A Diocese de Patos, o Bispo, os padres, não temos vergonha de dizer: obedecemos, mesmo com os prejuízos, as dificuldades, aos decretos, às determinações, autoridades da saúde. Obedecemos e não me arrependo de ter pedido a todo mundo para obedecer. E agora chega um Decreto dizendo que podemos tirar as máscaras. Mas eu trago comigo um outro Decreto, o da minha consciência, da minha responsabilidade. Neste caso eu não vou desobedecer, nem contrariar dizendo às pessoas que desobedeçam, mas eu, particularmente, vou continuar usando a máscara, porque ainda resta alguns artigos incomodando a minha consciência. Tenho ciência de que não é de uma hora para outra que as coisas se transformam. Digo isto para lembrar às pessoas que não tivemos a certeza de que a Covid-19 não está mais entre nós”, argumentou o Bispo Dom Eraldo.

Ele disse que segue rogando a Deus que livre totalmente a população da contaminação da Covid-19. Apesar de não recomendar aos fiéis que façam o mesmo, ele afirmou que a máscara continuará incomodando o seu rosto por mais alguns dias.

Ouça o comentário de Bispo Dom Eraldo abaixo:

Patosonline.com

Áudio – Higo de Figueiredo (Rádio Espinharas FM)


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo