Banco processa prefeitos de Olho D água, Coremas e Santa Luzia



O Banco Matone, do Rio Grande do Sul, está processando 22 Municípios (pessoas jurídicas) e seus respectivos prefeitos (pessoas físicas) que contraíram empréstimos consignados em nome deles próprios e de servidores municipais.

 

Os prefeitos não estão realizando os devidos repasses à instituição, conforme ficou acordado. Pelo menos dez ações já tramitam no Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba. Outras 49 tramitam em primeira instância. Nas comarcas, muitas ações foram movidas pelo Matone contra prefeitos e servidores municipais.

 

Outras foram movidas por servidores que se sentiram prejudicados, contra o Matoni, com pedidos de indenização. Os prefeitos de Santa Luzia (Antônio Ivo de Medeiros, que se suicidou esta semana), Olho D´água (Júlio Lopes Cavalcanti) e Prata (Marçal Nunes) são processados duas vezes cada um.

 

Em outra ação, é o prefeito Antônio Ivo que processa a instituição. No município de Itatuba, o Matone processa o prefeito Renato Lacerda Martins e sua filha, Raquel Beatriz de Oliveira Lacerda Martins. As Câmaras processadas pelo banco são as de Bonsucesso, São Bento e Gurinhém (duas vezes).

 

O prefeito do município de Coremas, Edilson Pereira de Oliveira (PR) – FOTO -, é um dos processados pelo Banco Matone. Ele é acusado de ter falsificado os contracheques de 36 servidores municipais (a maioria parentes dele) para que pudessem contrair empréstimos. Os empréstimos concedidos pelo banco totalizaram cerca de R$ 1 milhão em Coremas. E foram concedidos nos meses de setembro, outubro e novembro de 2006.

 

portalcorreio