Autor de denúncia é emeaçado de morte em Sousa



Autor de várias denúncias de como vêm sendo distribuídos os lotes para pequenos produtores das Várzeas de Sousa, o presidente da ONG Via Sertaneja, Fernando Perissè, disse à reportagem do programa Cidade Notícia, da Líder FM de Sousa, que recebeu ameaças de morte do radialista Gil Silva, proprietário da Rádio Comunitária Sousense FM.

As ameaças, segundo Perissè, teriam ocorrido na tarde desta quinta-feira (8) em plena via pública quando a esposa e outros familiares do acusado estavam sendo procurados por jornalistas de um canal de televisão para dar versão sobre as denúncias veiculadas esta semana de que mais de cinco parentes da senhora Eliana Marques, esposa de Gil Silva, teriam sido contemplados com lotes destinados aos pequenos produtores do Projeto de Irrigação.

Na opinião do denunciante, cerca de 178 lotes deveriam ser entregues a colonos, filhos de colonos e pessoas carentes do município de Sousa. Para ele, houve apadrinhamento político. Ele deixou claro que tudo foi articulado pelo deputado Lindolfo Pires.

"Entregaram as terras das Várzeas de Sousa a pessoas que moram na Praia de Manaíra em João Pessoa, a donos de mercadinhos na cidade de Sousa e outras pessoas que são donas de boas casas e até carros de cabine dupla", frisou.

Fernando Perissè informou também que as ameaças partiram quando ele se encontrava dentro de um carro. O caso foi todo filmado pelas câmeras da TV Correio que fazia a reportagem.

Além de ter partido para Perissè, o radialista também teria ameaçado o cinegrafista do canal de televisão que fazia as imagens.

Na manhã desta sexta-feira (9), Perissè pretende ir ao Ministério Público para pedir garantias de vida. "Estou correndo risco de morte por denunciar atos irregulares que contam com a conivência do Governo do Estado e alguém tem que tomar providências", finalizou.

Levi Dantas, da Rádio Líder FM de Sousa