• Dra Milena
Mundo

Ataque a tiros deixa mortos em shopping center na Dinamarca

Um homem de 22 anos foi preso; possibilidade de ato terrorista não é descartada

ÓTICAS GUIMARÃES

A polícia dinamarquesa informou, neste domingo (3), que ao menos três pessoas foram mortas e outras feridas após um tiroteio em um shopping na capital Copenhague.

Segundo as autoridades, um homem de 22 anos foi preso. Uma investigação sobre o caso está em andamento. Não foram descartadas as possibilidades de ato terrorista e de que mais pessoas estejam envolvidas.

“Há vários feridos, e o que sabemos agora é que há vários mortos”, disse o inspetor-chefe da polícia Soren Thomassen.

A polícia da cidade afirmou no Twitter que policiais foram enviados ao shopping após relatos de um tiroteio. Eles aconselharam as pessoas dentro do local a ficarem paradas e aguardarem a ajuda da polícia.

A mídia local publicou imagens mostrando policiais fortemente armados no local, bem como pessoas correndo para fora do shopping.

O principal hospital da capital, Rigshospitalet, recebeu ao menos três pacientes, conforme comunicou um porta-voz à CNN. Foram convocados funcionários emergencialmente, incluindo cirurgiões e enfermeiros, acrescentou o porta-voz.

O tablóide dinamarquês BT publicou imagens de vídeo não verificadas que dizem ter sido filmadas por uma testemunha do ataque, Mahdi Al-wazni, mostrando um homem com um grande rifle andando pelo shopping e balançando-o nos ombros.

“Ele parecia muito agressivo e gritava coisas diferentes”, disse Al-wazni à BT.

Imagens publicadas pelo tablóide Ekstra Bladet mostraram uma pessoa sendo transportada por equipes de resgate para uma ambulância em uma maca.

“As pessoas primeiro pensaram que era um ladrão. Então, de repente, ouvi tiros e me joguei atrás do balcão dentro da loja”, revelou uma testemunha ocular, Rikke Levandovski, à emissora TV2. “Ele está apenas atirando na multidão, não no teto ou no chão”, acrescentou.

O shopping de vários andares está localizado a cerca de 5 quilômetros ao sul do centro de Copenhague.

“Meu amigo e eu de repente ouvimos tiros. Eu ouvi cerca de dez tiros e depois corri o mais rápido que podemos para um banheiro. Nós nos esprememos neste banheiro minúsculo onde estamos cerca de 11 pessoas”, explanou uma testemunha que deu seu nome como Isabella disse à emissora pública DR.

O ataque segue um tiroteio mortal na vizinha Noruega na semana passada, no qual duas pessoas foram mortas por um atirador solitário na capital Oslo.

O show do cantor britânico Harry Styles que deveria ocorrer às 20h no horário local (15h no horário de Brasília), em uma casa de shows a menos de 1,6 km do shopping, foi cancelado.

Um evento no sul da Dinamarca para comemorar o fim das três primeiras etapas da corrida de ciclismo do Tour de France, organizado pelo príncipe herdeiro dinamarquês e com a presença da primeira-ministra Mette Frederiksen, também foi cancelado, informou a Casa Real.

A ameaça à Dinamarca de extremistas de direita é considerada em um nível “geral”, o que significa haver capacidade e/ou intenção e possivelmente planejamento.

A Dinamarca viu pela última vez um ataque de militantes em 2015, quando duas pessoas foram mortas e seis policiais ficaram feridas. Um atirador atirou e matou um homem do lado de fora de um centro cultural que hospedava um debate sobre liberdade de expressão. Depois matou uma pessoa do lado de fora de uma sinagoga judaica em centro da capital. O atirador foi morto em um tiroteio com a polícia.

(*CNN com informações da Reuters)

Imagens Reuters


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo