Após reunião: Polícia continua greve. Em Patos delegado diz que esgotou tempo dado ao governo



Após encontro de cerca de três horas entre o presidente da Associação dos Policiais Civis de Carreira (Aspol), Flávio Moreira, e o secretário de Segurança da Paraíba, Gustavo Gominho, na manhã desta quarta-feira (21), ficou decidido apenas que uma outra reunião deve acontecer, desta vez com o governador José Maranhão (PMDB).

Segundo Flávio, o secretario garantiu que ainda nesta quarta o governador José Maranhão vai lançar uma proposta aos policiais civis, que continuam em greve. “O secretário não adiantou nenhuma informação sobre a proposta do governador, o encontrou foi basicamente para garantir que o governador vai propor um acordo com a categoria”, afirmou Flávio.

Caso o governador lance uma proposta os policiais devem se reunir na próxima sexta-feira (23) para votá-la. A categoria entrou em greve nesta quarta-feira e cobram do Governo do Estado um reajuste que aumentaria os salários dos atuais R$ 1.500 para R$ 3.450, um aumento de 130%.

"greve"

Segundo o presidente da Aspol, os policiais civis da Paraíba têm o pior salário do país. "Manteremos apenas 30% dos 1.390 servidores trabalhando nas delegacias", esclareceu.

Em Patos, na manhã de hoje (quarta-feira), o secretário geral da Associação dos Delgados do Estado da Paraíba – ADPDEL, Marcos Vilela (foto), declarou que todos os prazos foram dados ao governo do estado.

Confira a entrevista concedida ao repórter Higo de Figueiredo da Rádio Espinharas de Patos.        

 

 

Patosonline com paraiba1

Fotos e áudio/Higo de Figueiredo