• Dra Milena
Locais

Após mais de um ano de acidente que vitimou a senhora Maria das Graças Pereira, em Patos, familiares relatam dor e pedem justiça. OUÇA

ÓTICAS GUIMARÃES

A redação do Patosonline.com foi procurada na tarde desta quarta-feira, dia 24 de agosto, por uma familiar da senhora Maria das Graças Pereira, que morreu na noite do dia 19 de abril de 2021, aos 65 anos, em um acidente automobilístico no bairro Novo Horizonte, aqui em Patos.

Segundo Camila Mônica, nora da senhora Maria das Graças, até agora nada foi feito, mesmo a condutora da motocicleta estando transitando de maneira irregular, sem CNH, com veículo atrasado e com uma criança na frente. Além disso, em depoimento, ela disse que a vítima estava atravessando a via e não teve como desviar, pois vinha um carro na direção contrária. No entanto, as imagens de câmeras de segurança mostram que dona Maria seguia em linha reta pela avenida e não vinha nenhum veículo na direção oposta.

De acordo com Camila Mônica, desde o ocorrido a família passou a conviver com muitos problemas psicológicos, tendo inclusive que se mudar da cidade de Patos para João Pessoa e posteriormente Brasília, pois passavam pelo local do acidente constantemente e relembravam o fatídico momento. Além disso, o neto de dona Maria, de 10 anos, que estava com ela no momento do acidente, passou a pedir para ir ao cemitério todos os dias, passando mais de três horas no local e sem querer voltar pra casa.

“Nos trouxe muitas consequências psicológicas. Onde meu enteado faz tratamento psicológico até hoje, chora com a morte da avó, que ele presenciou. Mesmo em João pessoa ele ficava aperreando, aí viemos para Brasília, aqui ele faz tratamento com psicóloga devido o ocorrido. Pede para voltar à Patos pra ele poder ficar indo para o cemitério. Já saímos daí justamente por isso, ele queria está lá todo dia, porque ele foi criado por ela. Era muito ruim, às vezes levávamos ele só aos domingos, tinha que passar mais de 3 horas lá, porque ele conversava, brincava, subia no túmulo dela. Muito triste, a minha companheira até hoje também trata psicologicamente devido a isso e a falta de justiça, não se conforma”, desabafou.

Maria das Graças fazia o mesmo trajeto todos os dias ao lado do neto, levando-o para brincar na Praça do Batalhão, e era conhecida da condutora da motocicleta. Camila conta que ela tinha muito medo de veículos e de morrer de acidente, tanto que só andava a pé na cidade.

Além disso, Camila também relata que no dia do acidente a condutora levou o neto de dona Maria para sua casa e lá ele ouviu a mesma comentando que foi fazer uma brincadeira com a vítima, pois sabia que ela tinha medo do trânsito, e não teve controle da moto, resultando no sinistro. Fato esse que, segundo Camila, também foi confirmado por terceiros.

“Minha companheira já perdeu uma moto aí em patos porque não tinha CNH, e a condutora sem CNH, moto atrasada e com uma criança na frente, andando toda irregular, e nada foi feito”, relatou Camila.

Ouça abaixo o desabafo de Camila:

Veja abaixo o vídeo do momento do acidente:

Matéria por Patosonline.com

Com informações da internauta


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo