• Dra Milena
Regional

Alunos de São Mamede receberam certificados do Curso Pedreiro em Alvenaria pelo ParaibaTEC

ÓTICAS GUIMARÃES

Os alunos do curso de qualificação profissional Pedreiro de Alvenaria receberam, na noite de ontem, terça-feira (30), os certificados. O curso foi ofertado pelo Governo da Paraíba, por meio do ParaíbaTec (Programa de Articulação da Educação Profissional e Tecnológica da Paraíba, em parceria com o município de São Mamede.

O curso teve duração de quatro meses, de fevereiro até maio, com carga horária de 200 horas-aulas. Foram ministradas na Escola Municipal Lúcia de Fátima, pelo professor e engenheiro civil Daniel Silas, sob a orientação de Francisco Daves da Nóbrega Júnior e a coordenação de Marcos Carvalho.

Daniel Silas falou sobre a sua primeira experiência como professor no ramo da engenheira civil: “Foi uma experiência única na minha carreira profissional. Sou engenheiro civil, mas sou filho de pedreiro e desde cedo vivencio o mundo da construção civil. Hoje, poder agregar com meu conhecimento e experiência na vida de futuros profissionais é algo gratificante”. O professor concluiu sua fala agradecendo a todos os envolvidos:

“Gostaria de agradecer e parabenizar o Governo do Estado por disseminar o ParaíbaTEC em todo estado, capacitando e formando novos profissionais em diversas áreas. Agradeço também o nosso prefeito Dr. Jefferson e o secretário de infraestrutura Mazarope Medeiros que deu total apoio e por disponibilizar material necessário para que pudéssemos conduzir o curso da melhor forma e ter o máximo de aproveitamento, e também ao diretor da escola, Diogo Araújo, por todo suporte ao longo do curso”.

Para Francisco Daves, “o curso foi uma grande oportunidade de capacitação para os profissionais de nosso município, tanto pela modalidade que possibilitou aliar teoria e prática quanto a metodologia que se mostrou eficiente e eficaz e se adequou a realidade dos cursandos”.

Já Diogo classificou a realização do curso na escola Lúcia de Fátima como “providencial”, pois, além das aulas teóricas no auditório, a escola também serviu de experimento na parte prática com uma parede erguida, fechando, assim, uma área aberta que dava acesso à academia da saúde.

“Agora, é a nossa vez de construir nesse espaço um Parque da Criança, de acordo com o projeto idealizado pelas professoras da Educação Infantil”, ponderou Diogo.

Por ASCOM


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo