Advogada patoense explica como as pessoas devem proceder diante do desrespeito à Lei da fila preferencial. Ouça



A advogada patoense Talita Araújo falou à reportagem da Rádio Espinharas nesta terça-feira (03), e na oportunidade explicou como as pessoas podem se utilizar da Lei Federal que prevê a fila preferencial para pessoas idosas, gestantes, pessoas com deficiência, autistas, entre outras.

De acordo com Talita, o estabelecimento que não oferece a fila preferencial e que desrespeita essa lei, deve ser notificado para corrigir determinada falha.

Nesse tipo de situação, a orientação é que a pessoa prejudicada entre imediatamente em contato com o Procon e solicite a presença de um fiscal. Desta forma, fica mais fácil exigir esse direito previsto em lei.

Talita ainda reforçou que, diante de uma ocorrência desse tipo, o órgão fiscalizador vai até o estabelecimento indicado pelo consumidor e tentará orientar o proprietário sobre a questão. Vale frisar que dependendo da situação, o estabelecimento poder ser inclusive autuado e sujeito a pagar multa.

Exemplo específico

Caso o estabelecimento não tenha uma fila preferencial estabelecida, a pessoa que possui a condição de preferência pode passar a frente da pessoa que está para ser tendida na vez.

Ouça mais detalhes no áudio que segue abaixo.

Matéria por Patosonline.com

Áudio de Higo de Figueiredo (Rádio Espinharas)




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.