Adriano Galdino acredita na inocência de deputados e diz: “delação por si só não é prova”



O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, comentou nesta segunda-feira, 06, a citação de deputados estaduais, na delação da ex-secretária de Administração da Paraíba, Livânia Farias, no âmbito da Operação Calvário, que denunciou repasses de dinheiro feitos ao deputado federal Efraim Filho e mais seis deputados estaduais.

Adriano Galdino disse acreditar na inocência dos deputados e fez a seguinte declaração. “A delação por si só não é prova. Acredito na justiça paraibana e acredito também na inocência dos deputados que foram citados pela delação”

Já o governador João Azevêdo, reafirmou que a investigação cabe ao MP e disse as seguintes palavras. ­”Cabe ao Ministério Público investigar, cabe à imprensa divulgar aquilo que aparece. Eu não sei como apareceu na imprensa a delação porque muitas vezes os advogados nem têm acesso. Cabe ao MP investigar, cabe ao Executivo fazer gestão da Paraíba e é isso que estamos fazendo.”

Delação de Livânia

Em seu depoimento, a ex-secretária de Administração disse que, em 2014, soube através de Ivan Burity que houve um acordo para que Efraim Filho ficasse com apoio da chapa, e que seria pago R$ 2 milhões. Ela relatou que Ivan Burity fez um repasse de R$ 1 milhão a Efraim Filho no dia do acordo, e outros R$ 250 mil foram entregues posteriormente.

Livânia Farias citou também repasses de mais de R$ 12 milhões do empresário Marcos Nunes, endereçado a parlamentares, sendo R$ 4 milhões para Arthur Cunha Lima, 1,6 milhão para Edmilson Soares para dividir esse valor com Lindolfo Pires, Tião Gomes, Genival Matias e Branco Mendes.

Patosonline.com

Com informações, Clickpb