Acusados de assalto à agência do Pag Fácil em Patos vão para presídio e caso tem novidades



Três dos quatro acusados de participação no assalto ao correspondente bancário PagFáicil, localizado no Edifício Estevão na avenida Pedro Firmino, centro de Patos, foram transferidos ontem para o Presídio Regional Romero Nóbrega.

A Polícia conseguiu prender duas horas depois do assalto: Magno Sales Dias, 25 anos, Edmilson da Silva Soares, 24 anos, motorista e Daniel Pedro Magalhães, comerciante, além de uma quarta pessoa que foi liberada logo em seguida, mas será investigado porque é acusado de ser o dono da casa para onde o bando iria se esconder.

Uma funcionária do PagMais também foi levada para prestar depoimento, por ser namorada de um dos acusados, Magno. Segundo a mãe da funcionária, esta conheceu o acusado na festa de São João de Patos e passou a namorá-lo.

As investigações continuam, tendo em vista que outras pessoas podem estar envolvidas. A ação policial teve início logo após o assalto, ocorrido às 8h com a abertura da loja, de onde foram levados, segundo, o proprietário Valdir Batista, cerca de R$ 308 mil, que estavam em malote prontos para ser depositados.

Uma viatura seguiu em direção à saída para Pombal e resolveu montar campana no Posto Cruz da Menina, quando a dupla que invadiu a agência passou em uma moto Tornado vermelha placa MMW 3334, usado para fuga do assalto.

Houve perseguição e dois foram encontrados escondidos no matagal no sítio de Dona Elvina, a cerca de 200 metros do Presídio Regional Romero Nóbrega. Com eles foram apreendidas duas pistolas 380 mm. Todo o dinheiro, segundo o tenente do 3º Batalhão de Polícia Militar de Patos, Jean Dilery Guedes, foi recuperado.

Durante o interrogatório um dos acusados revelou o nome de outros dois comparsas que teriam agido como informantes. Eles foram detidos em casa.

Um dos detidos revelou na Delegacia que o grupo estudou o modo operandis do assalto anterior ao mesmo correspondente bancário em fevereiro deste ano e perceberam que era possível praticá-lo novamente.

A Polícia, de posse de telefone celular dos acusados, está rastreando ligações para tentar prender possíveis comparsas do bando.

Segundo o tenente, depois que prenderam a dupla, eles confessaram o crime e revelaram que o assalto foi planejado por um homem que é noivo de uma funcionária da agência. "Eles disseram que quem tinha contratado eles para fazer o assalto tinha sido um homem daqui mesmo de Patos, que é noivo da funcionária, que é apontada como a pessoa que passava as informações da movimentação no estabelecimento. Ela foi detida ontem e ficará sob investigação e o mentor do assalto foi preso junto os dois outros réus confessos. Além desses, tem mais uma quinta pessoa sendo investigada e que estaria dando apoio em uma casa, localizada perto do local para onde a dupla estava fugindo com o dinheiro roubado", contou tenente Dilery.

A funcionária ficará sendo investigada até que se encontre a prova da participação dela no assalto. Ela negou participação e disse que não tinha nada haver com o ocorrido.

PB Noticias e Correio da Paraiba