Acusado de 36 assassinatos é preso em blitz, quando estava em ônibus de turismo



As investigações para desvendar a série de assassinatos ocorrida nos últimos meses em Mari e região, bem como inibir o tráfico de drogas levou policiais civis a prender José Hildebrando Targino da Silva, 35 anos. Ele é apontado como envolvido em pelo menos 36 assassinatos.

“Bizoga”, como ele é mais conhecido, foi preso na noite desse domingo, 23, na PB-073, entre Sapé e Mari, durante bloqueio policial. Ele estava em um ônibus de turismo que retornava do Litoral Norte do Estado.

O delegado Reinaldo Nóbrega, responsável pelas investigações dos vários assassinatos ocorridos na região, disse que havia recebido informação de que “Bizoga” havia saído de Mari para uma ‘excursão’ a uma das praias do Litoral Norte e como soube do horário de retorno do ônibus decidiu montar à ‘barreira’.

Já era noite quando aconteceu o bloqueio com seis policiais civis, com o delegado comandando. Devido à surpresa o acusado não reagiu e com ele ainda foi apreendido um revólver calibre 38, seis munições intactas, uma quantidade de maconha e documentos falsos.

Reinaldo Nóbrega informou que além dos crimes de homicídio, “Bizoga” vai responder pelos crimes de tráfico de drogas, posse ilegal de arma, munição e falsificação de documentos. Após ser autuado, ele será conduzido a Penitenciária Regional de Sapé.

Outro fator importante descoberto pela Polícia Civil foi que “Bizoga” era o responsável pelo tráfico de droga que resultava em mortes na cidade de Mari que, inclusive determinava quem era a vítima. “Acredito na redução sistemática do tráfico de droga nessa região”, acrescentou o delegado regional de Itabaiana, Hugo Hélder.

45 dias de paz

Mais “Bizoga” não foi o único preso envolvidos em assassinatos. O delegado Hélder lembrou que já haviam sido presos Eronides Barbosa Ricardo, 20 anos, o “Malvado”, que confessou a participação em pelo menos 13 homicídios, entre eles o esquartejamento de dois irmãos, ocorrido no dia 29 de julho, em Mari; Wellington Augusto Alvino, 20 anos, o “Chapolin”; Paulo de Oliveira Silva, 19, o “Paulino”; e Wanderlei Barbosa Ribeiro, 24, o “Cavernagem”.

O secretário executivo da Segurança e da Defesa Social, Jean Nunes, disse que essa operação faz parte de um trabalho integrado e que aposta na repressão qualificada. “Mari precisava de uma resposta da Polícia obteve um grande êxito. Vamos continuar vigilantes e contamos sempre com o apoio da população”, concluiu.


Cardoso Filho WSCOM Online