2009 teve média de 4,41 homicídios por mês em Patos; a maioria ligada às drogas



Uma média de 70 assassinatos por mês foi registrada durante o ano de 2009 na Paraíba. O que chamou a atenção foi o grande número de jovens envolvidos com drogas, a maioria ex-presidiários, cujos crimes não foram desvendados.

Este ano, apenas em Campina Grande, foram registrados 136 assassinatos.

Na cidade de Patos, 53 pessoas foram mortas e na capital do Estado esse número ainda é mais alarmante, e chega próximo dos 300 homicídios.
Na Capital do Sertão, estas cenas se repetem a cada dia. É crescente o número de assassinatos e tentativas de homicídio causando pânico à população, sobretudo, na periferia da cidade de Patos.

A polícia admite a crescente alta nos índices de violência, mas não reconhece que vivemos uma onda de violência. Segundo informações oficiais do delegado Regional da Polícia Civil em Patos, Manuel Luiz, 53 homicídios foram registrados em 2009, sendo que destes, a minoria tiveram autoria revelada e a maior parte está sendo investigada e continua sem autoria.

Os números obtidos pelo Hora Exata demonstram que as tentativas de homicídio são quase os mesmos que o número de assassinatos. Embora não tenhamos fechado esses dados ainda, em 2009 foram mais de 30 tentativas.

Para população não resta dúvida que existem falhas no aparelho policial e que vivemos uma onda de violência. Para o Delegado Regional declarou que o efetivo da polícia civil em Patos é insuficiente para atender a demanda. Ele frisou, porém que espera que com a realização de concurso público, essa carência possa ser atendida.

Pelas estatísticas, Dezembro foi o mês mais violento do ano com 10 mortes, seguido de Julho e Novembro com 7 mortes cada. O mês menos violento foi Setembro com apenas 1 homicídio. No primeiro semestre de 2009, 18 casos de homicídios foram registrados em Patos, e no segundo semestre, 35.

O bairro com maior número de assassinatos em 2009 é o bairro da Vitória com 10 assassinatos seguido das Placas, com 9. Em terceiro vem São Sebastião e Jatobá com 04 cada.

Para o presidente da OAB, seccional Patos, advogado Alexandre Nunes, não existem dúvidas que Patos vive uma onda de violência. Ele pediu providências das autoridades. Para Nunes, a sociedade não pode se conformar com esta situação.

A opinião do advogado pode ser retratada em números. A média de assassinatos em 2008 chegou a 4,58 por mês. Já em 2009 foram 4,41. Em 2007 foram registrados 33 homicídios, uma média de 2,75 a cada mês.

Horaexata