comentários  

14 de fevereiro de 2018, 12:34

Sindicato critica gestão por não conceder aumento salarial para aposentados e pensionistas do Município de Patos


Enquanto os professores da ativa tiveram 6,81% de aumento e os servidores que ganham o salário mínimo tiveram o reajuste de R$ 17,00 em seus vencimentos desde o dia 1º de janeiro de 2018, os aposentados e pensionistas do Município de Patos não tiveram o mesmo tratamento pelo segundo ano consecutivo. A afirmação é do Sindicado dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região (SINFEMP).

“O prefeito Dinaldinho Wanderley, juntamente com o Patos Prev, não incluiu no pagamento o reajuste de 6,81% para professores e nem tampouco os 2,07% de aumento para os aposentados que não são professores e ganham acima do salário mínimo”, relatou Carminha Soares, presidente do SINFEMP.

Como a Câmara Municipal só retorna as suas atividades no dia 20 de fevereiro e os relatos são de que o Patos Prev só paga se tiver Lei, os aposentados estão sem reajuste. Carminha disse que a gestão poderia pagar e mandar Projeto de Lei com data retroativa a 1º de janeiro, pois os professores e demais servidores que ganham como base o salário mínimo, receberam com aumento e também não foi encaminhado projeto para a Câmara. Carminha Soares comentou: “Lamentável mais uma vez esse prejuízo para os aposentados e pensionistas. Eles deixam de receber o aumento mais uma vez”.

O sindicalista José Gonçalves, vice-presidente do SINFEMP e presidente da CTB, reclamou que esse descaso histórico com os aposentados demonstra a falta de compromisso da gestão. "Eles não precisam mais da mão de obra, do serviço desses servidores e os tratam assim", falou indignado Gonçalves.

José Gonçalves afirmou que a Prefeitura de Patos, quando se trata de melhoria para os servidores, judicializa tudo e tem que ter parecer jurídico em tudo, mas quando é algo de interesse da gestão esses pareceres saem dentro de 24 horas, no entanto, quando se trata de direitos dos servidores, eles colocam a pedra em cima. Ele citou o exemplo das progressões horizontais e verticais, como também a implantação da insalubridade das auxiliares de serviços que se arrasta há mais de um ano e a insalubridade 4 meses.

O SINFEMP está mobilizando as categorias para que no período de 19 a 23 de fevereiro todos participem das assembleias. A primeira paralisação na cidade de Patos será dia 6 de março de 2018 e terá o lançamento da Campanha Salarial que tem como tema: Resistir, Lutar e Conquistar.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com

Informações SINFEMP

 


 

 


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.