comentários  

03 de outubro de 2013, 09:29

Dura realidade: Seca! Assentamento Rural Patativa do Assaré, em Patos


"Se ser político é reclamar das injustiças. Então, eu sou político", disse Patativa do Assaré.

 

Nossa andança pelo sertão castigado pela estiagem das chuvas e pela falta de incentivo por parte dos governantes para o homem do campo continua. A visão agora está voltada para o Assentamento Rural Patativa do Assaré, vizinho ao distrito de Santa Gertrudes, distante 16 quilômetros da cidade de Patos. Cerca de 60 famílias estão assentadas na comunidade onde as reclamações são muitas e a luta pela permanência na zona rural é diária.

As famílias que antes eram sem terra conquistaram o direito de posse da propriedade após ocuparem a Fazenda Jacu, atual Patativa do Assaré, que acumulava dívidas não pagas junto aos bancos credores. Os agricultores foram organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra – MST. Após várias desocupações, enfrentamentos com a polícia a mando da justiça e tantos outros problemas, os sem terra tiveram o direito de posse garantido pelo Governo Federal através do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, órgão vinculado ao Ministério da Agricultura.

Ao contrário do que muitos pensam e criticam o assentamento rural não significa Reforma Agrária. A condição para permanecer no pedaço de terra conquistado depende de muitos fatores, entre eles, econômico, climático, incentivo a produção, capacitação e assistência por parte do governo. Sem apoio, muitos acabam negociando a terra e voltando para as periferias das cidades em busca da sobrevivência.

A realidade do Assentamento Patativa do Assaré é lamentável. A reportagem percorreu algumas casas e colheu informações sobre as dificuldades. Relatamos sobre a seca, o apoio recebido dos governantes e fotografamos momentos na localidade. Os relatos não foram animadores: 4 dos 5 açudes estão completamente sem água, o único com água serve apenas para matar a sede dos animais; esgotamento sanitário do Distrito de Santa Gertrudes com falha e levando água de esgoto para os mananciais do assentamento; casas de agricultores sem conclusão de reformas devido a problemas com o INCRA; escola desassistida e com computadores sem manutenção; projetos abandonados por falta de incentivo federal, entre outros.

A obra de esgotamento sanitário do Distrito de Santa Gertrudes, obra essa realizada pela Prefeitura Municipal de Patos, trouxe vários transtornos. Entre eles está a fedentina disseminada para a própria comunidade devido a localização das piscinas de tratamento que deveriam estar em outra área, e o mais grave é a deficiência que deixa água de esgoto ir diretamente para o principal açude do Assentamento Patativa do Assaré. A reclamação já percorreu, de acordo com lideranças do assentamento, alguns órgãos da justiça e da política, mas nada foi feito para reverter o problema.

O Patativa do Assaré está sendo abastecido por carros pipa fornecidos pela Secretaria de Agricultura do Município de Patos. Dezenas de carroças também colhem água em uma localidade de forma clandestina e sem tratamento algum. Os agricultores do assentamento reclamam da assistência no fornecimento de água e o Secretário de Agricultura, Sebastiao dos Santos Lima diz que está dentro da normalidade, apenas existe uma briga entre lideranças que ele não quer participar. Apesar de existir um programa de abastecimento d’água através de encanação para as residências, esse foi abandonado pelo INCRA.

A reportagem conversou, dentre tantos agricultores, com Jerry Adriano(foto ao lado do esgoto da Estação de Tratamento), que é filho de um dos assentados, e luta pela melhoria na comunidade. Jerry cobra das autoridades e mostrou abaixo-assinado colhido pedindo solução para o problema da água para a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba – CAGEPA, mesmo a CAGEPA não sendo responsável pelo abastecimento rural.

Ofícios relatando as dificuldades no Assentamento já foram enviados para Hugo Motta, Frei Anastácio, Luciano Cartaxo, Anísio Maia, Janduí Carneiro, Benjamim Maranhão, Rui Carneiro, Manoel Júnior, Agnaldo Ribeiro, Romero Rodrigues, Efraim Morais, Wilson Santiago, Dr. Damião Feliciano, Luiz Couto, Cícero Lucena, Cássio Cunha Lima, Francisca Motta e até Dilma Roussef já foram enviados. Todos deram respostas vagas e sem resolutividade para as questões expostas.

Patativa do Assaré! Mais uma comunidade rural que sofre por conta da estiagem de chuvas e pela falta de iniciativa política dos governantes!

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com

 

 

 

Fotos e vídeos da postagem



Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.