comentários  

22 de março de 2013, 23:50

Tentando acertar?


Desde que tomou posse a frente dos destinos do nosso Legislativo, nos meios de comunicações locais, não escuto outra a coisa a não ser diariamente duras criticas a administração da atual presidente Nadigerlane Rodrigues. Se não foi muito bem aceita por alguns como é normal no inicio de qualquer gestão, piorou ainda mais depois que ela baixou uma portaria exonerando todos os prestadores de serviços não concursados. Alegando a necessidade de tal medida para assim disciplinar a folha de pagamento que andava meio fora da realidade, recebida como herança da gestão passada. Não descartando, no entanto, rever cada caso assim que ficasse ciente de toda parte contábil e das exigências do TCE.

            Como quem perde nunca se conforma, foi como um estopim numa granada onde rapidamente deixaram de lado a ética e alguns, principalmente dos meios de comunicações,  passaram a expor não só a Câmara como muito mais a sua pessoa publicamente com duras e pesadas criticas. Passando tão somente para a opinião púbica o lado negativo do Legislativo sem dar ouvido ao crédito de confiança que pediu. Até porque dos tantos demitidos, se faz jus ao jornalista Adilton Dias, um veterano jornalista que há 27 anos cobre o dia-a-dia dessa casa. Porém, por outro lado, havia gente recebendo (fantasmas) havia anos sem colocar os pés nesse poder inclusive residindo em outro Estado. Então, ainda vejo como alternativa, antes de qualquer crítica, muitas com ofensas, o dialogo,  porque quanto mais criticas, mais mágoas, rancor e assim nunca vão chegar a lugar nenhum. A presidente é uma estreante e não custa nada ouvi-la antes de pisa-la.

Praças sem vida

            Na administração Nabor Wanderley andaram fazendo algumas justas reformas em nossas praças, como também  construíram outras mais. Onde tinha bar, a exemplo da Getulio Vargas, a primeira medida foi acabar. Para alguns medidas louváveis, mas para outros antipáticas. O pior é que, entres ambas, esqueceram o principal que foi dar vida as praças. Das tantas, poucas restam intactas, pois a falta de segurança aos poucos elas foram adotadas pelos vândalos, usuários drogas e ponto de prostituição. Enfim, o dinheiro público pelo ralo quando na opinião de tantos não custava nada ter dotado todas com quiosques e entregues a pessoas responsáveis para a comercialização de lanches com restrições a qualquer consumo de bebida alcoólica. Uma forma de trazer as pessoas para as praças e não como estamos vendo as pessoas com medo delas. A Edivaldo Motta dispensa comentários.

Defensor “Público”  

            Um funcionário pago pelo público que deveria atender muito bem esse mesmo público. Hoje, uma peça tão rara de se encontrar. Nas comarcas, muitos são lotados, mas pelo que se tem conhecimento, poucos cumprindo com sua verdadeira obrigação.  Em Patos, por exemplo, se conta nos dedos.

Em busca de seus direitos

            Por uma fonte soube que uma ex-funcionária da Prefeitura local hoje viver penando em busca de seus direitos. Somente agora descobriu que seus 7 anos e seis meses que trabalhou na administração Nabor Wanderley, mesmo constando nos contra cheques os descontos do INSS para esse órgão, não foi repassado um só mês. Somente descobriu quando foi ao citado órgão depois de uma cirurgia de um câncer de mama. Tentando contar seu tempo para se aposentar, recebeu essa desagradável notícia. O pior é que buscou a Defensoria e de um “Defensor” Público ouviu que essa é uma ação coletiva e não podia ser individual. Tentou o Prajur (Programa de Assistência Jurídica) da FIP e a resposta foi um não. Alegaram que mantinham convênio com a Prefeitura não podendo assim advogar contra a mesma. Se aconteceu, no meu ponto de vista esse Defensor deve voltar para a faculdade. Já a Prajur, que belo exemplo de discriminação e falta de comprometimento. Que os alunos não sigam esse péssimo exemplo. Quantos não estão na mesma situação dela sem saber. Só um caminho, o MP.

Bullying  

            Vejo isso com excesso de frescura. Na minha época, uns apelidavam os outros nas escolas, trabalho e nas ruas e nem por isso ninguém matava ninguém e nem tão pouco se frustrava. Conviviam da mesma forma e levava na brincadeira. Hoje, vejo uma juventude cara que não interage e a maior parte vive na dependência das redes sociais num mundo imaginário e deixando o principal que e fazer amizade e viver. De tudo se magoa e por mais simples que sejam as brincadeiras, os próprios pais, em vez de contornarem, alimentam para que o desfecho termine em inimizade. Enquanto isso afrouxam e deixam os filhos até altas horas trancados nos seus quartos aprendendo coisas piores nas redes sociais. É melhor um apelido de que certas amizades feitas no Orkut, Facebook, MSN e tantos outros.

Decepcionando                               

            De uma coisa pode ter certeza. Como estão se comportando certo estreantes vereadores de nosso Legislativo, no próximo pleito a renovação vai ser pior de que se pensa. Praticamente quase todos estão sendo malhados por seus eleitores que estão, não só decepcionados, mas  se sentindo traídos pela forma como vêm se comportando aqueles que com seus votos foram ali colocados.  Finalmente, alguns sabem o que significa a palavra vereador? Derrotaram que tem competência e justamente preencheram seus lugares com certos nomes que estão ali só para balançar a cabeça como lagartixa alimentando seu grupo político. Até quem era oposição ferrenha hoje virou situação e ortodoxa.

Barreira  

            Na época do prefeito Nabor Wanderley, foi criada uma barreira que só tinha acesso ao mesmo, principalmente no seu gabinete, àqueles que recebessem o sinal verde dessa turma. Pelo visto não sei se é do conhecimento da prefeita Francisca Motta(PMDB), mas tenho certeza que não. Porém, estão adotando o mesmo sistema ou pior. Digo porque já tentei falar com a prefeita várias vezes e da barreira não passei. Inclusive falei diversas vezes com a coordenadora da Comunicação, Nayane Rodrigues, e apesar de sua presteza até hoje nada. Fui pessoalmente ao gabinete da prefeita e tentei junto ao seu chefe de gabinete Pedro Leitão para que o mesmo tentasse facilitar esse acesso. Fui bem tratado e o mesmo pegou meu telefone e até hoje estou no aguardo. Então, não podemos perder as esperanças. Como ainda faltam 3 anos e 9 meses, quem sabe se eles um dia resolvem abrir essa barreira e deixar as pessoas terem acesso a prefeita de todos os patoenses e não de um pequeno grupo como estão tentando sem seu conhecimento fazer.

Curtiu

            O prefeito Ademir Morais de Santa Luzia resolveu comemorar seus 60 anos no último dia 15 na capital Potiguar na companhia de seus familiares.  Falam até que está recarregando as baterias para uma provável candidatura à Casa de Epitácio Pessoa. Será?

 Com prestígio?

 Quem anda segundo uma fonte decepcionado com a politica atual, é o ex-prefeito Ivânio Ramalho. Se já vinha decepcionado piorou ainda mais, depois da demissão de dois irmãos e um sobrinho que prestava serviços a Prefeitura de Patos. Mas convite é que não falta para sair do PMDB. Soube de um recente contato seu com o Governador Ricardo Coutinho, onde lhe convidou para ingressar e disputar uma vaga para deputado estadual pelo PSB.  Será?

 


Publicidade
Publicidade

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Patos Online suspende a publicação de comentários nas matérias. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto após as eleições de 2018.